terça-feira, 26 de novembro de 2013

Pedaços

Carrego comigo pedaços,
Do Cristo que também está em ti
Sozinho sou apenas pedaços 
Em unidade, na diversidade,
Sou Corpo, sou Igreja
Sou então aquele que carrega e parte em busca
Carrego pedaços e necessito do que está em ti
Sou extremamente restrito e limitado
Na verdade nada sou, porque Deus tudo é!
É Ele o Dono do Amor que se mutila
Que me faz depender do outro
Louvo a Ele por isso
Sozinho sou egoísta, frio,

Cheio de mim e vazio d'Ele
Bendito Amor que se desdobra em pedaços
Árdua e gloriosa escolha Tua por mim
Pecador, fraco e sedento
Sedutora Cruz que me une ao Teu sofrimento 

E também ao do outro
Sofro junto, preciso aprender deste Amor
Vou também distribuindo pedaços de mim
Recebendo o do outro e completando o corpo
Contigo partilho a minha Cruz, meus pedaços! 

Amor e Sofrimento

Por muitos vezes penso que o Sofrimento vem primeiro
Reclamo e perco memória do Amor que se deu na Cruz
Nestes momentos reflito e vejo que o Amor é soberano
Rei em meio às minhas misérias
Soberano desde o princípio
Tudo por Amor foi feito
Deus é Amor
Por Amor o verbo no seio da Virgem se fez carne
O Verbo Encardo é o Amor que se fez homem
O Amor sobre todas as coisas
O Amor ao outro como a mim mesmo
O Amor Trindade
Rendido, sou por Ti convencido
Vem primeiro o Amor
Primeiro me amou
E para amar como Tu amas faz sentido o sofrer
Faz sentido o Calvário e o todo o peso da Cruz
É este caminho que trilho
É esta minha aventura, minha busca
Encontrar o Amor distribuído
Escondido, o Amor de Deus no outro
O Amor que se faz pequeno
O Caminho que trilho é este:
Do Amor e Sofrimento.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Longe de mim

Recebo com ternura Teu abraço
E frio é o que passo
Digo que amo
Muitas vez o contrário faço
Transmito frieza,
Ofusco a Tua beleza
Me perco na incerteza
No lugar da alegria reina a tristeza
Mais pesa a Cruz
Pelo outro tenho desprezo
Assim sou eu, feito aqui assim
Distante do Teu sonho
Deformado, cansado antes de caminhar
De tudo reclamo, poucas vezes Te chamo
É minha luta entrar na forma
Por Ti ser moldado
Mas é também meu desejo
Ser não o que de mim fizeram
Mas o sonho do Teu coração
Por isso amo e sofro
Para ser o que Queres
Me fizeram assim, longe de mim!

sábado, 16 de novembro de 2013

Vale de Lágrimas

As almas choram e há ranger de dentes
Imploram pela redenção de seus pecados
Lá o tempo é tardo
O Céu não existe, as cores se resumem ao pardo
Há ausência de vida
Inúmeras ovelhas do rebanho perdidas
Não houve tempo, não voltaram
Vagaram, vagaram, vagaram
Agora em meio ao caos, insistentemente procuram o Senhor
Tudo escuro ficou, não se sabe a direção
Perderam-se na falsa certeza
Venceu a escuridão, se faz concreto o medo
A certeza se resume ao inferno, perdeu-se a salvação
Não acreditavam e agora almejam pelo eterno
Do Vale gritam : "Salve Rainha , Mãe de Misericórdia!"
Almas suspiram, gemem e choram
Perdidas em meio ao Vale de Lágrimas!

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Escondido

Quando em meio às minhas trevas me perco
Fico de Ti escondido
O pecado me deforma
Tira de mim a forma original
Nesta hora percebo-Te também escondido
No verde das florestas, no voo do pássaro
No mar que parece não ter fim
Seu amor se humilha para me alcançar novamente
Sem perceber a Tua luz ganha espaço
Toma de volta o que é Teu e afasta de mim as trevas
Meu coração retoma a alegria
Tenho a certeza da pertença e dos teus cuidados
Parece loucura,
Um Deus tão grande escondido para alcançar o pecador
Quando cego,
Lavas meus olhos
Quando surdo,
Falas cada vez mais alto até que eu ouça
Quando de Ti perdido,
Humilha-Te à minha condição
Se faz por amor também escondido.

domingo, 3 de novembro de 2013

Nada tenho

Eu só tenho os pés, Deus mostra a direção
Dá forças para que se movam
Eu só tenho as mãos, Deus as usa e conduz
Eu só tenho os olhos, para que neles vejam Seus reflexo
Eu só tenho a boca, para que através dela Deus anuncie
Eu só tenho os ouvidos, pelo outro chega a eles Sua voz
Eu só tenho o coração, a ele Deus fala diretamente
Eu só tenho uma certeza: nada tenho!
Digo que tenho mas tolo sou se penso algo ter
Tinha muitas certezas, uma me restou:
Nada é meu, tudo é empréstimo!
Tudo é do Senhor, a Ele consagrado!
Dos muitos planos, sonhos e projetos
Restam-me o desejo, a vontade de segui-Lo
Tenho ainda mais uma certeza, a mesma de Teresa:
"Deus não muda, a paciência tudo alcança.
Quem a Deus tem nada lhe falta: Só Deus basta."
Tenho a Deus, sendo Ele meu tudo,
Nada tenho!
 

Tempestades

A alma que se diz calma
e não ter feridas, encontra-se
de Ti perdida,  enferma e
necessitada de cuidados.
"Tu és o médico e eu
o miserável".

Minha alma leva consigo
feridas profundas, algumas
expostas, muitas escondidas...
Teu Espírito Santo as revela,
passeia na história.
com amor cuida e vela.

Sou em teu mar barco
à deriva, meu horizonte
é limitado, não enxergo o fim.
Sei que ao longe parti,
Aceitei o desafio de
Contigo navegar.

Vou em busca da alegria,
da plenitude, da completude
que minha alma anseia.
Não importando se à frente
tenho grandes tempestades,
sigo ao Teu lado, pois em Ti
confio e ponho a minha
esperança.

Sugestão de Leitura Bíblica:
II Tim, 1-12