quinta-feira, 17 de abril de 2014

Contraste

Vejo a vida de partida
Pelo caminho que se inicia
Quando parece ter chegado o fim
Vejo a vida chegando até mim
Trazendo graça e paz
Vejo o elo de Deus que jamais se desfaz
Vejo que além daqui há muito mais
Vejo Deus fazendo a acolhida
E celebrando conosco a vida
É no céu e na terra uma grade festa,
a festa da acolhida
Vejo a alegria da chegada e também da partida
Pelo caminho só de ida
Vejo a vida extensa ou reduzida
Vejo do céu e da terra a união
Do humano e o divino,o contaste.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Todo Teu

Quisera eu ser todo teu
Em tudo e em todos encontrar-Te
Quisera eu ser todo teu
Em palavras e ações agradar-Te
Quisera eu ser todo teu
E aos invés de prender-me
às minhas incertezas
Ter-Te como alicerce
Quisera eu ser todo teu
Ter a fé de pedir na certeza
de que ouves a minha prece
Quisera eu ser todo teu
Não somente em pedaços
Quisera eu ser todo teu
E assim teus fossem
todos os meus espaços
Quisera eu ser todo teu
E poder ao que não vê,
com minha vida revelar-Te
Quisera eu ser todo teu
E ao que não ouve,
com minha voz anunciar-Te
Quisera eu ser todo teu
E ao que já não sente
Levar a tua presença
Quisera eu ser todo teu
Viver aqui,
já na certeza de encontrar-Te
Quisera eu ser todo teu
Acima de todas coisas amar-Te
Quisera eu, ser todo teu!

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Lenho da Cruz

Imagino ó Mãe tuas lágrimas
Lavavam o véu e o manto
que cobriam Jesus
Junto com as feridas de morte
Lavavam a dor da perda e
abençoavam a humanidade
A dignidade pelo teu Filho
refeita
Cobriam o lenho da Cruz
e as chagas por nós deixadas
Banhavam a lança que feriu
Limpavam a face que o pecado
cuspiu
Imagino ó Mãe teu ventre ferido
Ao ver Aquele por ti concebido
Ser tido por pecador
Imagino e não sei medir a dor
Imagino todo o teu olhar de consolo
Cuidando, acariciando a alma e o
corpo envolto pela dor
Imagino e não sei medir o amor
Imagino meu Senhor crucificado
E tu aos pés d'Ele ajoelhada
Teu coração com Ele na Cruz
Diante de tamanha dor, vejo tuas
mãos ensaguentadas
Com o sangue puro que lava meu
pecado
Com teu Filho nos braços,
Carregando consigo o lenho da Cruz.