quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

O sorriso do menino Jesus (24.12.15)

Os anjos no céu festejam o
nascimento do menino Jesus,
na terra a alegria chegou e
na manjedoura sorri o Filho
de Deus.

Quão grandiosa é a alegria
de Maria e José, pois
agora colhem o fruto da
fidelidade à vontade divina.

No céu, a estrela o caminho
ilumina, e ao chegarem ali
os Reis adoram o Rei e O
presenteiam.

O ouro, representa a realeza,
o incenso a pureza, o perfume
puro que exala do Deus menino,
e a mirra é prenúncio de Sua
paixão.

É a grande festa, a maior de
todas as celebrações, entoamos
canções de louvor e ação de graças.

Contemplamos a doçura, na
manjedoura ouvimos o choro e
vemos o sorriso do menino Jesus.

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Grandes coisas (22.12.15)

A Tua misericórdia chegou até mim,
transpassou as gerações e encheu
de alegria, louvor e gratidão o
meu coração.

Recebi de Ti, inúmeros presentes,
muito além do meu merecimento,
minha alma uniu-se à de Tua amada
Mãe e com ela entoei um cântico
de alegria e agradecimento.

Posso eu também, ir ao encontro,
falar deste amor e ser instrumento
para que os que estão tristes entoem
com ela este cântico de vida eterna.

O Senhor é meu alento, meu forte e
a minha segurança, o Pai que tudo
fez, em Ti manifesto, pelo Espírito
revelado, em mim realizou grandes
coisas.

Sugestão de leitura bíblica: 
Lc 1, 46-56.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Abrigo (16.12.15)

Abrigo do Deus amigo
é o coração que O permite
entrar, a janela que se abre,
a sala que O aconchega.

Os braços que O afagam,
a mente que dilata o
entendimento e se esforça
para compreender os Seus
desígnios.

A alma que luta para
purificar-se é morada,
abrigo do Deus onipotente,
Criador da imagem intacta,
da semelhança perfeita.

Os que buscam Nele abrigo,
acabam por encontrar-se, quando
recolhidos em seu interior,
entendem que o Espírito que habita
em si, os tornam templo,  abrigo do
Deus que ama eternamente.

Descansa em mim (13.04.15)

Jesus? Jesus! Jesus...
Jesus... Jesus? Jesus;
Não me ouves?
Jesus? Jesus! Jesus...

Sim te ouço!
Por que tardas
em responder?
Jesus? Jesus!
Jesus...

Oi!
Não me vês?
Sim, te vejo!
Por que olhas o
pecador?

Jesus? Jesus! Jesus...
Jesus, Jesus; Jesus...
Não me entendes?
Jesus? Jesus! Jesus...

Sim, entendo!
Jesus? Jesus! Jesus...
Jesus... Jesus? Jesus!
Meu filho, acalma-te
e descansa em mim.

Sugestão de leitura bíblica: 
Mt 11, 28-30.

Mãe da Esperança (16.12.15)

É certo que dos teus
carinhos sou envolto,
entre tantos, fui eu
o escolhido.

Sobre mim derrama-se
uma especial proteção,
de mim brota uma
ardorosa oração.

Fruto da experiência
contigo, de ti, mãe,
aprendi que Jesus é
meu grande amigo.

Meu Mestre e Senhor,
a Ele devo submeter
a vida e nunca devo
esquecer-me que sou
eterna criança,
protegida por ti, Mãe
da Esperança.

Cânticos célebres (11.12.15)

Cânticos célebres infundiu
em nós o Senhor,  trouxe paz
e novo ardor, alegria e esperança.

Novo ânimo, novo amor,
misericórdia e temperança.
Nos recordou de Sua aliança
e que é fiel em cumprir Suas
promessas.

Antes cativos, perdidos em meio
às lamentações, retornamos do exílio
e agora entregues à Sua misericórdia,
deixamos perdidos na história os
cânticos fúnebres.

O Senhor nos fez renascer, tal como a
ave que ressurge das cinzas, e nos exortou
a entoar cânticos célebres, envoltos de
alegria, fogo e ação de graças.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Confusão (04.12.15)

Confusa estava minha alma
quando fui ao Teu encontro,
gemendo e cheia de dores.

Oprimida em meio a muitas
perturbações, escorreram na
minha face lágrimas de agonia.

Supliquei o Teu socorro e não
demorou que atendesse minha
prece, o Senhor ouviu meu clamor!

O que me oprimia agora confuso
está e minha alma antes cheia de
pertubações em paz se encontra,
pois o Senhor acolheu minha oração,
encharcada pelas minhas lágrimas.

Sugestão de Leitura Bíblica:
Salmo 5/6 (de acordo com a Tradução).

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Tempero (29.10.15)

Sou chamado a ser sal e luz,
a levar o vosso sabor e dissipar
as  trevas.

Levo comigo o gosto e o
cheiro, o devido tempero
para a desperança e a escuridão.
Levo a mensagem por vós
anunciada.

Em missão, com os pés na estrada,
quando me enviardes, serei para
o mundo um luzeiro e ao dissabor o
devido tempero.

Sugestão de Leitura Bíblica: 
Mt 5, 13-14. 

A manjedoura e a Cruz (02.12.15)

No primeiro presépio com 
José e Maria, estava o Rei 
a esperar aqueles que ao 
seu encontro iam para O
adorar.

Na Cruz estava o Rei, agora
despido e continuo a esperar
aqueles que iam ao seu encontro
para com Ele redimir a humanidade.

De novo não encontrou abrigo,
talvez tenha lembrado-se da
manjedoura e do perigo de nascer
em um estribo, ao longe, em Belém.

No entanto,  permanece Rei,
suporta a dor e rejeição, sua
manjedoura é o colo de Maria,
a acolhê-lo descido da Cruz.

Unem-se a manjedoura e a
Cruz, pois nasceu o Rei Jesus,
Rei de Belém ao Calvário,
Rei na terra e no céu, vivo para
sempre!

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

É tempo de recomeçar (02.12.15)

Olhar pro céu e lá encontrar
Esperança e força para permanecer
fiel e assim abandonar-me
sem medo ao novo de Deus.

Nas inconstâncias encontrar-me
com a misericórdia a apontar
um novo caminho. a me erguer
e reconduzir meus passos.

Ali, aos teus pés, encontrar
de novo o sentido.
Hoje te vejo abandonado
e esquecido, com saudades
a me esperar.

E eu sou ainda pequeno e rebelde,
mas sempre correndo ansioso
para novamente te encontrar.

Ouvindo de ti palavras de ânimo
e nova fé, insistindo para que eu
não desanime, pois é tempo de se
lançar ao novo e recomeçar.

domingo, 29 de novembro de 2015

Verdade e amor (29.11.15)

Reto é o caminho do justo,
que  tem em seu peito as
memórias abrasadas da
aliança selada com Deus.

A sua alma é elevada e
seus anseios estão além
desta passageira morada,
em Deus reside seu coração.

Quando decaído tem sempre
diante de si a mão de Deus
estendida, quando elevado,
a sua se estende ao decaído.

É reto, íntimo e entendeu
que verdade e amor são
os caminhos do Senhor,
eterna é a sua aliança e
elevada a morada onde
Deus habita.

Sugestão de Leitura Bíblica:
Salmo 24/25


sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Enchei as talhas (27.11.15)

Enchei as talhas e
nelas deposites tudo
o que precisa ser
transformado.

Faças uma oferta
sincera de si e eis
que meu filho há de
atender-te.

Não tarda, não demora
e já vem a hora que o
que teve a água em vinho
transformada, dirá a outros:
enchei também vós, as talhas.

Sugestão de Leitura Bíblica
Jo 2, 7.

domingo, 22 de novembro de 2015

Doze Cestos (22.11.15)

Do que faltava tenho agora doze
cestos cheios, não só de alimentos,
mas de amor e compaixão.

Sou parte do povo incrédulo
que ia ao teu encontro por
necessidade.

Mas de Ti aprendi,
ainda quando era multidão,
que devo acolher a todos,
sem fazer distinção.

Depois de saciar a fome,
suplicar por conversão.
Hoje só posso agradecer,
pois fui retirado da multidão
e do que me falta todos os
dias recolho doze cestos.

Sugestão de Leitura Bíblica:
Jo 6, 12-13.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Memórias (18.11.15)

Escrevo o que talvez alguém 
um dia queria saber, e eu que 
estarei ocupado a contemplar 
a Deus não poderei contar.

Memórias de mim, 
escritas no livro da vida, 
dada por Aquele a qual 
em Suas mãos a tem para 
sempre.

São memórias que mesmo 
esquecidas podem gerar a vida, 
por isso escrevo, de mim, 
bom ou ruim...  para sanar 
a curiosidade futura e 
para que todos saibam 
que aqui estive, mas daqui 
não sou.

Manso e humilde (18.11.15)

Sereno, doce, brando,
manso, amigo e Mestre.
Recebes meu peso e em
Ti o meu pranto logo se
converte em festa.

O meu ombro se encaixa
junto ao lenho da Cruz e
ali sinto o peso da redenção.

Na minha subida árdua e
necessária, encontro forças
quando olho para Ti.

Encontro aquela mesma
menina que te consolava,
a enxugar meu rosto e
aliviar-me dos algozes
que como a Ti faziam,
me maltratam.

Mas a ti me confio,
pois sou fraco e o
fardo a mim pesado.

Me submeto ao
Teu julgo suave,
me abandono em Teu
coração que é manso
e humilde.

Sugestão de Leitura Bíblica:
Mt 11, 29. 

domingo, 15 de novembro de 2015

No silêncio do meu quarto (14.11.15)

No silêncio do meu quarto
posso te ouvir, sinto uma
forte paz a me envolver.

Posso dialogar, falar de
mim e acostumar os meus
ouvidos ao tom da Tua voz.

Ali pode ser o meu monte,
a minha alta montanha e o
meu lugar de solidão.

Ali pode ser o meu descanso,
o meu alento, tal qual o Teu
coração.

Posso muito longe ir, porém
preciso sempre da direção.
Antes de ir, paro para ouvir
Tua voz a falar, no silêncio
do meu quarto.

Sugestão de Leitura Bíblica: 
Mt 6, 1-7. 

domingo, 8 de novembro de 2015

Ruah (07.11.15)

Eu aqui do papel posso dar vida 
às aves que te louvam no céu,
aqui fico a contemplá-lo.
                 
Posso criar a estrela que me
leva à Jesus, posso também
me unir a Ele pela Cruz.

Aqui, no papel, sou livre,
sou meta e alvo, sou filho
e sou cuidado.
           
Crio, mas antes já fui criado
figuro enquanto sou
transfigurado, recebo forma
e cor, luz e sabor.  
             
Aqui só posso imaginar e
crio, mas sem o sopro da
vida que só Tu podes dar,
sou criador a imaginar, o
Criador a me criar.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Palavras que abrasam (04.11.15)

Hoje Tuas palavras chegaram
de uma  forma diferente ao 
meu coração, penetraram 
o íntimo do meu entendimento 
e me trouxeram consolação.

Encontrei novamente o menino,
muito tempo atrás feito Teu filho,
encontrei o adolescente que
alegrava-se ao receber-Te pela 
primeira vez.

Encontrei comigo ainda vivo dentro
de mim e me alegrei como naqueles
dias, pois vi que cultivei uma história,
hoje mais amadurecida, que me permite 
tomar uma firme decisão.

Minha luta é sempre fazer-Te 
o centro da vida, não importando 
se a minha renúncia seja deixar pai, 
mãe ou irmão.
Seguir-te-ei, abrasado por Tuas
palavras, que fazem arder o meu
coração.

Sugestão de Leitura Bíblica: 
Lc 14, 25-33. 

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Nada Além (03/11/2015)

Não desejo nada além que Tua
presença, não além do Teu amor.
Nada além do que ofertas,
nada além que o suficiente.

Diante dos tantos excessos que
em mim percebo, é recorrente
a sensação que algo falta.
Entendo então que a oferta que
fazes é daquilo que me basta.

Entendo, mas nem sempre acolho,
por causa das resistências que ainda
imponho e das lutas que contra Ti
travo.

Sei que para aderir àquilo que me
é ofertado, preciso ser podado.
Preciso que de mim seja retirado,
o desnecessário que o tempo
acumulou.

Mesmo sem ainda conseguir,
quero dizer que ainda estou
deforme e estando cheio me
sinto vazio, mas não desejo
nada além do que o suficiente
para hoje ser feliz!

Sugestão de Leitura Bíblica:
Eclo 31, 12-42.

O Crucificado (16/11/2015)

Ao comungar não contemplava outra
figura senão a do Crucificado,
olhei para a cruz e mais uma vez
o Senhor me dizia que por mim
se dava em sacrifício.

Olhei e não tinha nada que desviasse
o meu olhar.
Ao comungar veio em mim morar
Aquele que se dava em sacrifício
no altar.

O Eterno, a convidar-me novamente
à vida eterna.
Troquei minha humana morada,
por uma crucificada, troquei o meu
comodismo pelas dores do calvário,
os meus amores, pelo amor de Jesus.

Fiz Dele o  meu único amor e agora
e agora contemplo a figura do
crucificado, que meu o eu com
Ele à cruz levou.

Sorri (15/11/2014)

Sorri ao Esposo de tua alma,
sorri agora com mais calma,
sorri e silencia a tua alma.

Ouve a voz que antes longe
e agora perto te chama, sorri
e vela com Ele, sorri e a ama
somente a Ele.

Cante, louve, mas não se
esqueça: sorri!
Sorri e ame, sorri e dance,
sorri e com sorriso exalte
Àquele que é!

Sorri como sorriu Maria,
sorri por Ele ser a tua alegria,
sorri pelo retorno, sorri pela
partida, mesmo que a tua alma
não encontre motivos: sorri
ao Esposo de  Tua alma!

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Pródigo (30.10.15)

Eu pródigo, esperava
no regresso condenação
e tão somente acolhida
e misericórdia de meu Pai
encontrei.

Regressei e adentei a
festa, o banquete posto
é contrário ao meu
merecimento.

Fiquei constrangido com
tamanho amor e aprendi
que assim também devo
amar.

Ao que se perdeu ajudar a
se reencontrar, ao caído
levantar e nos braços do
Pai me abandonar.

Sugestão de leitura bíblica:
Lc 15, 11-32.

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Teu coração (29.10.15)

Teu coração é meu descanso,
Teu coração é meu porto
seguro, é âncora que me prende
e traz segurança.

É fonte de Esperança,
lugar puro e santo.
As águas que dele
jorram lavam meu pecado.

O Amor que dele emana
me molda e constrange.
O sangue me nutre,
plasma em mim, purifica.

É Amor que redime,
ponto de encontro entre
o divino e o humano,
Fonte terna da temperança.

Inspiração, lugar onde
se renova a confiança.
É fonte de toda arte e
de toda beleza.

Onde se esconde a realeza,
convertida em Amor,
Manso e humildade,
regado de misericórdia.

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Perfume do madeiro (27.10.15)

Teu cheiro ficou junto
à madeira e misturou-se
ao sangue que a lavou. 

No abraço que remiu o
mundo , fui eu também
impregnado, em mim
ele ficou marcado. 

Em meio à dor, misturava-se
ao doce cheiro de Maria, 
que ao seu lado sofria. 
Recebi dela um terno e 
doce abraço,  ficou o 
Teu e o dela em mim
misturados. 

Devo eu, ter o mesmo 
cheiro, exalar a essência
da cruz, do sacrifício, do
amor e do sofrimento.

Devo me unir e sentir
o cheiro de Tua mãe, 
beijar e recordar o Teu
fixada junto ao sangue
na Cruz.

Teu suor antes tal qual
gotas de sangue se tornou
o perfume que inundou e
salvou um a um, todos 
os homens... o perfume 
do madeiro.

Sugestão de Leitura Bíblica:
Lc 22, 41-44.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Primórdio (26.10.15)

Tudo era caos, informe 
e vazio, mas já lá no 
primórdio da Criação
Teu Espírito Santo fazia
habitação. 

Estava a pairar e ordenar
todas as coisas, estava a 
iluminar e modelar o que 
não tinha feição. 

Saudosa obra da Criação,
que do caos fez ordem,
da criatura filho, da morte
via para a vida. 

Movimento constante, 
que se faz concreto e 
visível em Cristo Jesus,
que vem para modelar 
o informe, preencher o
vazio e restaurar o que
pecado deformou. 

Sugestão de Leitura Bíblica:
Gn 1, 1-2. 

domingo, 25 de outubro de 2015

Cabana (24.04.15)

Me chamas a habitar
em Tua casa, a seguir
Tuas pegadas e descobrir
teus segredos. 

Me chamas a permanecer
em tuas vias, entronizado no
Teu coração, nas Tuas entranhas.

Serei feliz se for perseverante
e tiver em mim o desejo de 
desvendar os Teus segredos.

Na Tua casa hei de habitar,
Lá repousarei tranquilamente. 
Tua morada eterna, será para 
sempre a minha casa, ao redor 
das muralhas colocarei uma 
estaca e junto a ela hei de 
edificar a minha cabana.

Sugestão de Leitura:
Eclo 14, 22-27.

Aos quatro cantos (11.09.15)

Tenho medo de não te escutar
Tenho medo de só ouvir falar
Receio que o medo que tenho
me impeça de poder anunciar

Por onde eu for quero levar
Tua Palavra, infundir nos
corações um novo ardor

Se mandares e se assim queres,
aos quatros cantos eu vou
És tu meu Senhor,
o motivo meu anúncio

Vou em Missão anunciar o Evangelho,
plantar boas sementes em nova terra.
Pois não quero o medo me paralise 
e me impeça de ir ao encontro do
Cristo escondido...
Se mandares e se assim queres,
aos quatros cantos eu vou!

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Ir ao Encontro (20.10.15)

Brasília, 20 de Outubro de 2015

Senti em mim uma inquietude que me moveu a ir ao encontro. Pensava eu poder levar Cristo, mas vi que não habitava em mim, as ondas revoltas estavam com grande violência a bater sem direção. Eu corria, mas sem rumo, não sei ao certo onde estava a minha esperança. Deixei-me ser envolto pelas circunstâncias e vi que indo em missão na verdade estava em regresso para mim mesmo. Estive distante, como nunca antes estive e da mesma forma confuso.

Em meio ao caos precisei parar para reorganizar a vida, pontuar as coisas ainda  irresolutas e continuar a obra inacabada... Me vi enfermo e Deus ao meu lado a cuidar de mim... Me vi longe e Deus a criar ocasiões para me reaproximar. Me vi desistir de mim, e Deus ao meu lado sempre a lutar... sem nunca desanimar!

Me vi aflito, porque minha esperança estava abalada... Vi a obediência ferida por não querer perder e assim ganhar a vida... e vi também os meus tantos apegos a me roubar a pobreza. Vi minha vida toda agitada e contorcida, a misericórdia em mim não entrara morada... Tantos julgamentos, tantos conceitos novos que contrapõem o meu entendimento... Me vi perdido e quão bom foi assim me ver... Pois eu que pensava ir, fui encontrado... Eu que ia ajudar fui ajudado e estando eu perdido fui reencontrado...

Ir ao encontro se tornou então reencontro comigo e com os meus desertos, com as minhas inabitáveis moradas. Quão grandiosa é uma alma, que calada, consegue escutar o seu Senhor... Quão edificantes são os conflitos quando vividos ante o Amor... Quão numerosas são as batalhas que trazem maturidade, crescimento e paz interior. Desejo ir ao encontro do outro, mas antes preciso encontrar a mim e sempre me reencontrar com e em Deus.

Rodrigo Santos, CCNAr.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Quem roubou meu sonho?

Brasília, 04 de Setembro de 2015

Vi máscaras, vi altos montes, vi lutas e conflitos. Vi tudo e não me vi. Aos poucos encontrei motivos que não me convenceram a um seguimento firme, a depositar toda minha fé... Fui caminhando meio sem rumo, mas sempre atraído por algo que movia e não sabia ao certo o que era.

Entendi que o caminho é interior. É uma descoberta que se dá a cada passo. É uma luta que não cessa! Entendi que preciso celebrar cada pequena vitória e olhar com fé e esperança, ter confiança, paciência e misericórdia diante das quedas.

Não sou eu o perfeito  que Deus chamou, sou eu um pequeno, alvo de um grande Amor. Penso eu ter escolhido, mas no ventre já era amado, separado da multidão. Fui abrasado por um fogo que me devorou, por uma chama que me consumiu e abrasou.

Tive a honra de partilhar o ventre e ser gerado na primeira casa de Jesus. Sou inteiro de Maria, sou filho da alegria. Sou fruto do Amor manifesto, sou regido e não maestro. Sou uma porção de muitos que Deus separou e preservou para si. Sou eu filho do Carisma que me chama a ser no mundo instrumento de restauração, sou eu restaurado pelos instrumentos e pela ação do próprio Espírito, que doa os dons e forma a comunhão. Sou membro de uma pequena, mas dileta porção. Chamado a ser pequeno e levar ao mundo um novo ardor!

Pensando em mim, olhando para dentro, me perguntei: quem roubou meu sonho?
Um dia fui capaz de dar uma resposta que desejo ainda amadurecer: meu sonho nunca foi roubado, sempre esteve resguardado... Meu sonho é ser o que Deus já eternidade sonhou e com Ele continuar a sonhar um mundo novo, onde o convívio sadio e a vivência fraterna não utopias, mas concretude e alegria materializada.

Continuo a sonhar... Desejo ser quem fui feito, ser restaurado e sonhar sonhos de vida eterna... Que no para sempre se fazem realidade!

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Louvor e Misericórdia (13.10.15)

Quando tempo perdi olhando
somente para mim, preso ao
meu egoísmo...

Embora perdido, não desprezo
este tempo que tenho para mim
como tempo de construção e
busca pela temperança.

Deste tempo ainda tenho a firme
lembrança dos erros já perdoados,
as consequências dos bons e maus
atos.

Tirei dali grande aprendizado e
impulso de constância.
Percebi que amadureci muito
dentro de mim...

Entoei cantos de ação
de graças, minha língua
se desprendeu do palato,
meu louvor subiu tal qual
incenso e tocou o Teu
coração.

Hoje deixo o convite:
Vem aqui, dentro de mim,
entoar hinos de louvor e
misericórdia.

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Âncora do Sagrado (09.10.15)

Irei ao Teu coração sagrado,
irei pela via mais fácil, pegarei
por atalho o de Tua mãe, santo
e imaculado.

Estarei ancorado junto a ele e
assim chegarei ao Teu, minhas
deformidades serão para Ti objeto
de trabalho, alvo de intercessão de
Tua mãe.

Serei todo Teu, sendo todo dela,
serei mais eu, quando de mim
não for propriedade.
Não faltará disposição se olho
pra sempre fiel e tua amada mãe,
Não me faltará coragem, se sigo
por obediência os seus santos
conselhos.

Irei pelo caminho que é certo,
para ir ao Teu  sagrado coração,
antes terei por abrigo o imaculado
coração de tua mãe, a Santíssima
Virgem Maria.

É ela a criatura mais terna e bela,
bendita entre as gerações, dona
do coração fiel  e imaculado,
que me ancora ao Teu sagrado.

domingo, 4 de outubro de 2015

Êxodo (04.10.15)

Tendo Tu apontado-me a direção,
agora posso seguir em frente.
Sei que será árdua a jornada,
longo o caminho pelo deserto.

Mas sei que logo à frente o
prêmio é certo e a consolação
será ofertada.

Suportarei os sofrimentos
presentes, colocarei os meus
pés à serviço, em jornada,
em missão.

Partirei rumo à terra prometida,
contando com Teu auxílio e
providência, com a Tua graça e
sustento.

Desejo dar passos de esperança
cega, gastar minhas forças na
caminhada, afim de conquistar
o prêmio eterno e adentrar a
terra prometida.

Estou em êxodo de mim mesmo,
partindo ao encontro da Tua
vontade para a minha a vida.

Doce olhar (26.09.15)

Devo olhar-te primeiro
e no teu doce olhar me perder.
A Ti dar-me por inteiro
Sabendo que foste Tu

O primeiro a me olhar
Como devo então ao
outro olhar?
E quando esta paz que agora
sinto se dissipar?

Quando isto acontecer,
peço-Te que me lembres
que antes de olhar, fui por
Ti olhado.

Naquele dia tive a certeza:
"Encontrei o amor da minha vida!
Encontrei a própria vida!"
Quantos anos se passaram e
o teu olhar continua a me estremecer!

Quando meu olhar não conseguir ao
Teu corresponder, olha-me demorado,
ama-me e  encontrarei-Te em minhas
memórias, unidas a Ti razões e forças
para erguer meus olhos e contemplar
o Teu abandono por mim.

Devo eu olhar-Te primeiro,
dar-me por inteiro, encontrar-me
com o Teu doce olhar.

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

São Mateus (21.09.15)

Tens pressa em me amar,
chamas-me ao serviço e ao
teu seguimento.

Não tive muito tempo e não
hesitei em te seguir, na resposta
ao teu chamado.

Senti-me atraído e aos poucos
fui sendo transformado pelo
Teu amor que me constrangeu.

Eu que era cobrador e defraudava
me fazendo ladrão, tive meu coração
por Ti roubado.

Tive eu também pressa em mudar
de vida e aos que defraudei, me fiz
anunciador do Teu Evangelho.

Fui julgado e perseguido, mas fiz
da Tua Palavra o livro da minha
vida.

Encontrei sentido, entendi que devo
ser perseguido, não porque defraudava,
mas porque O sigo.

Não devo ser perseguidor, tampouco
soberbo e avarento, deixei de cobrar
impostos, de roubar os meus, pois
entendi que minha é dom de Deus.

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Serás feliz! (22.09.15)

A misericórdia rega o
tempo da espera.
O sangue dos mártires,
unido ao martírio de Cristo
é força e ânimo para continuar.
Inúmeras vezes quis minha face
do sofrimento desviar...
Nunca tive coragem!
Não sei onde iria te encontrar.
Hoje peço que se renove esta
coragem para seguir em frente,
por Tua graça sempre atuante,
em mim seja cultivada a paciência
para esperar que se cumpram Tuas
promessas e a fidelidade para que
eu não me aparte da Tua vontade.
Continuo a seguir a voz que um
dia me disse: "junto a Mim,
serás feliz!"

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

O manto e a cruz (18.09.15)

Tu que a doze anos vias
teu sangue ser derramado
e sentia-se impura e indigna,
pudeste contemplar o Cristo
do qual tocaste o manto, a
derramar seu sangue em 
resgate da tua e de muitas 
vidas.

Cessou o teu sangramento,
cessou o do Cristo, após ter
derramado na Cruz s
ua última 
gota  de sangue. 
Não seria tocar o manto o gesto
que te apaixonaria por Jesus?

Ter a cura tão desejada após
tocar o manto, se fez prenúncio
da cura completa ofertada a ti
e ao mundo inteiro no alto do 
Calvário. 

Não seria o toque ao manto 

o convite recebido para ir com 
Ele até a cruz, até o fim?
E assim cessaria o sangramento

não só do corpo, mas da alma
que se encontrava ferida e enferma? 

Sugestão de Leitura Bíblica:
Lc 8, 43-46. 

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Fonte (15.09.15)

Eu que bebi da água
ofertada por Jesus,
tenho em mim uma
fonte.

Jorro água viva,
água que sacia a sede
do mundo inteiro.
Bebi eu primeiro,
mas devo ser fonte
para quem desejar
beber.

Devo jorrar para a vida
eterna, pois tenho em mim
multiplicada a mesma água
ofertada por Jesus.
Sou uma fonte de vida
eterna, de água viva.

Sugestão de Leitura Bíblica:
Jo 4, 14b.

Tu me amas (15.09.15)

Não serei eu náufrago
de mim mesmo, não
ma apartarei de Tua 
vontade. 

Aprendi que existem 
recomeços e que aos 
poucos as fraquezas 
podem ser vencidas. 

Aprendi que não só
de idas é caminho e
que muitas vezes
voltastes por mim, 
para dar um novo
sentido e me por
na direção correta. 

Eu que das tuas pegadas
fiz minhas referências,
muitas vezes me desviei,
mas desde que Te encontrei
não quis seguir outro caminho.

Foi um amor tão profundo
que por Ti gerei...
Em todas as minhas buscas,
não encontrei outro que se
compasse.

Em todas as minhas fugas,
não encontrei outro que
por mim voltasse e desse
de novo a vida.

Em todos os heróis que
imaginei, não encontrei
outro que amou, sofreu,
morreu e que mesmo
morrendo todos os dias,
vive para sempre!

É Jesus...
Entendi que não existe
vida senão em Ti, e que
ninguém irá me amar como
Tu me amas!

Maria: serva fiel (15.09.15)

Quando a tristeza e o
desânimo me circundam,
é a ti que eu clamo,
peço teu socorro!

O pecado deixa minha alma doente
e teu Filho é o meu remédio.
Desejo que minha vida entre em
ordem, em consonância com o
chamado que recebi.

Virgem sempre disposta,
Peço que me ensines o serviço,
e a entoar o teu canto de alegria.
Sempre que a solidão me cerca
e minha alma se sente doente me
lembro de teu empenho.

Aonde poderia eu buscar ajuda
senão nos teus braços?
Assim como Pedro quando teve
medo e correu pedindo o teu
socorro, hoje eu corro e desejo
que sejas meu auxílio.

De forma ousada me atrevo
a dizer: sem Jesus nada posso
fazer, mas sem tua presença
não consigo chegar até Ele.

Me ajude a também ser fiel,
a corresponder com fidelidade
e viver com entusiasmo e alegria
a minha vocação.

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Tudo em todos (09.09.2015)

Ainda me assombra
a vida passada, ainda
bate à porta o homem
velho, porém não o
temo.

Visto que está sendo
despojado e à minha
vista tenho o homem
reconstruído, que aos
poucos é restaurado.

Se me assombra a velha
vida, ainda me falta vida
nova, mais entrega, esforço.

Se me assombra o homem
velho é porque ainda não
consegui entregar tudo,
ainda me dói o sacrifício.

Ainda preciso perder e
me desapegar das minhas
próprias paixões, ainda
preciso ser purificado,
sacrificar meus ídolos.

Sou homem velho aos
poucos sendo feito novo,
à espera e trabalhando para
que chegue o grande dia
no qual poderei  dizer:
sou homem novo e Cristo
é tudo em todos!

Sugestão de Leitura Bíblica: Cl 3, 1-11. 

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

A Alma (07.09.15)

A alma precisa que cessem
os gritos, os inúmeros barulhos,
recolher-se para que contrita ali
Deus possa falar.

A alma necessita ser cuidada,
expor as feridas para que delas
Deus possa cuidar.

A alma precisa respirar,
precisa encontrar-se com
a paz, romper com as
inquietudes.

A alma pode vagar,
perde-se e tornar-se
vazia, por isso precisa
ser habita.

A alma precisa de
Deus, de silêncio
para que Ele possa
falar, cuidar, trazer
a paz e ali habitar.

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

A Árvore da Alma (31.08.15)

De claridade sem fim é a
luz que está no centro de
minh'alma.
Sempre intensamente forte,
porém às vezes ofuscada pelo
meu pecado.

Esta luz refletida é a imagem
trinitária, é o movimento
de Amor eterno que se
repete e vai ao outro.

Esta luz ofuscada é a morte
que me impede de levar a
vida, é a tristeza da alma
que se envaideceu e está
esquecida de seu Senhor.

Se plantada nas trevas,
a árvore de minh'alma
nenhum fruto pode dar,
tem mau cheiro, é estéril,
não gera vida.

Sou feito para a luz e
no centro da minha alma
está a fonte, a água da vida.
Está a fonte, o Sol, está
plantada a árvore que
dá bons frutos, a árvore
da alma!

sábado, 29 de agosto de 2015

Nada terei (29.08.15)

Nada terei quando
tudo eu quiser ter,
enquanto tudo não
estiver submetido
à Tua vontade.

Não pode ser maior
a minha vaidade,
não posso esquecer-me
de que tudo o que faço
é por Ti, para Ti e em Ti.

Sozinho nada posso fazer,
nada consigo perder,
tenho tudo para mim e
nada tenho além de mim
mesmo.

Conforme submeto meus
planos e tudo a Ti entrego,
vão se ausentando de mim
as desordens e desequilíbrios.

Preciso caminhar,
tudo perder e enfim
poderei dizer que tudo
tenho.

Quando nada eu tiver,
tudo terei, a minha alma
estará saciada, será o meu
tudo a Tua presença.

Uma canção de liberdade (29.08.15)

Quando estou contigo
sinto-me embalado em
uma envolvente dança.
Me sinto uma criança
a se divertir com tantas
outras.

A melodia no pulso
do Teu coração vai
penetrando os meus
sentidos e em pouco
tempo já me vejo
dançando.

Entendo então que
minha vida é obra
composta por Ti,
os sons se alternam
e soam conforme o
Teu querer.

O que posso mais eu
querer se não continuar
eternamente no embalo
desta bela canção?

Meus olhos se encantam,
meus lábios cantam, meus
ouvidos ouvem o pulsar
do Teu coração e todo o
meu ser se deixa ser
conduzido.

Talvez seja isto a tal
liberdade: uma canção
que não compus, uma
dança aonde não conduzo,
mas sou por Ti conduzido.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Servo dos servos (25.08.15)

Meu coração saúda
e minha alma reverencia
o Rei que me ama e se
fez servo dos que servem.

Sendo Tu o maior de todos,
preferiste estar com Teu
povo a ocupar um trono,
o serviço à majestade.

Sou grato e não me acho
digno de tamanha afeição,
mas já que assim quiseste,
procuro eu fazer o mesmo.

Nem sempre consigo
transmitir da mesma
forma o amor que de
Ti recebo e nem servir
como me ensinas. 

Porém, sempre me
esforço pra ser o último
e não primeiro, o servo
dos que servem e não o
que é servido.

Pobre Servo (25.08.15)

Eu pequeno, a cada dia
preciso ir em busca do
alimento que sacia e
acalenta minha alma.

Minha alma se inquieta
se assim não faço.
Obtenho grande ajuda
quando primeiro vou
até Maria.

Como boa mãe me ensina
que a vida é simples e viver
com seu Filho também.
Basta ir em busca e Ele já
me encontra.

Basta servir com empenho
no cotidiano e lá Ele está
presente; basta amar sem
buscar motivos e lá Ele está
presente.

Basta fechar os olhos,
olhar pra dentro e lá
Ele está presente;
Basta que de mim eu
me ausente e ao outro
me disponha e Ele lá
está presente...

No que se vê,
no que se ouve,
no que se sente,
Jesus se faz presente.
É a luz que revela as
boas obras e o mal oculto.

Tudo isso que digo não
é sabedoria própria, são
ensinamentos de Tua boa
mãe, a quem eu amo e me
entrego.

Jesus, és o servo do Pai,
aprendestes de Maria e
José e  também ensinastes
a eles o mundo inteiro com
as Tuas boas obras.

A Ti, Jesus, só posso
dizer: sou pobre servo
de Tua grande serva
e amada mãe.

sábado, 22 de agosto de 2015

Abstrato (22.08.15)

E quando a presença for
só retratos e sentimentos
mistos guardados em meios
às memórias que ao poucos
o tempo leva?

E quando o tato não puder
alcançar e transmitir o
desejo interior e o remoço
quem sabe sucumbir as
boas lembranças?

Mais vale quebrantar
o orgulho e humilhar
o coração, mais vale
ser sensível e aproveitar
bem cada segundo.

Não é preciso transformar
o mundo e tudo que nele
habita, mas é um bom
começo começar por si
mesmo, para que o mundo
seja melhor.

Pode ser que o eterno
carregue consigo a
chance de expressar
o que foi sucumbido
e não foi demonstrado,
o que era concreto e
tornou-se abstrato.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

A Luz do Sacrário (19.08.15)

Precisei por muitas vezes,
mesmo sem querer, te visitar.
Sempre vi brilhar uma luz
sinalizando a Tua presença.
 
Mais forte era a que de Ti
emanava.
Precisei por muitas vezes
a mim mesmo abandonar,
ser fiel e me deixar ser
conduzido.

Precisei por muitas vezes,
desejar e fazer da tua a
minha única companhia.

Feliz fiquei quando em
um belo dia, entendi que
o sacrário também sou eu
e que a luz que sinaliza tua  
presença, brilha dentro 
de mim.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Pequena Criança (17.08.15)

Eu antes aflito,
diante das dores
que me atormentam,
fui por tua mãe
consolado.

Quando rebelde,
com forças em seus
braços me segurava.

Tua mãe está sempre
a me lembrar que
embora cresça, pequena
criança devo ser.

Embora rebelde,
cheio de vontades
próprias escondidas,
devo sempre te obedecer.

O maior tesouro (17.08.15)

De que vale aqui
ter tesouros
passageiros e não
poder gozar da
eternidade ao teu
lado?

De que vale muito
ganhar e ter-Te de
mim roubado?

Dos muitos tesouros
que tive que deixar,
nenhum se equivalia
a Ti, nada eu perdi
e recebo ainda ao
longo da vida,
o cêntuplo.

Foi esta a sua
promessa que me
encorajou a dar
um sim definitivo
e deixar tudo
para seguir-Te.

Meu olhar para Ti
se voltou, e minhas
trevas foram feitas
luz.

Deixei não só os
barcos, vendi o
campo e meus bens
mais preciosos,
para ter-Te como
o meu maior tesouro.

Sugestão de Leitura Bíblica: 
Mt 16, 19-21; 13, 16-22; 19, 16-22.

Dentro de mim (17.08.15)

Resolvi chegar mais
perto e de forma mais
intensa te procurar.

Olhar pra dentro de
mim e no meu escondido
te encontrar.

Resolvi adentrar mar
adentro e conhecer o
íntimo do Teu coração.

Fui em busca de me
encontrar e me deparei
com o Teu altar.

Fui em busca de um
grande ideal e no
caminho interrompi
os meus passos,
pois me deparei com
um alto monte.

Em cima dele havia
uma cruz.
Dentro de mim vi a
mesma cruz, fortemente
iluminada.

Parece estranho,
mas assim aconteceu:
a cruz do alto monte,
brilha forte dentro
de mim.

Assunção (17.08.15)

Dorme a mãe,
em seus braços
o pequenino, no
coração a paz
constante.

Não obstante,
perto está a
glória eterna.
Aquela que sempre
acolheu, é agora
no céu acolhida.

Seja bem-vinda,
lhe saúda a Trindade.
Mãe assunta, pelos
anjos levada.

Mãe amada,
Rainha dos céus,
coroada.

Pela vida digna,
o prêmio eterno.
Pela fidelidade,
a oportunidade
de estar sempre
ao lado de teu
Filho.

Fico admirado e
não vejo outro lugar
para ser a tua morada,
senão o seio da Trindade,
onde tua vida foi gerada
e feita eterna.

A amizade de Jesus (17.08.15)

Meu amigo, com quem
me desgastei em longas
conversas.

Por Ti muitas vezes
fui aconselhada.
Sempre o vi preocupado,
a me apontar a direção
correta.

Fui te conhecendo aos
poucos, e quanto mais
conheço, mais invisto
no cultivo da nossa
amizade.

Quando me sinto só
e me assombra os meus
vazios, é a Ti que eu
procuro.

Chego triste e sempre
após conversar contigo,
me sinto aliviada.

Precioso não era o campo
que vendi, mas o tesouro
que em Ti encontrei.

domingo, 16 de agosto de 2015

Vens a mim (16.08.15)

Vens a mim em
socorro de minhas
fraquezas, consolar
o meu coração.

Vens a mim,
a abrasar-me,
chamado-me
à vida.

Vens a mim,
por onde vou.
Vais à frente,
sendo Tu, o
meu condutor.

Vens a mim e
a Ti eu vou,
bates à porta
de minha alma.

Antes já adentrastes
meu coração, meu
entendimento.
Seduziste-me e eu
me deixei seduzir.

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Só tu me bastas (17.05.15)

Sendo eu insuficiente,
recorro a ti.
Tendo eu me perdido
em meio ao caos,
volto meu olhar para ti.

Tendo eu sido consumido
e me perdido em mim mesmo,
volto ao lugar de onde sou,
volto ao teu coração.

Eu que me julgava
suficiente, dobro meu
coração em contrição.
Tende piedade de mim
e acolhe-me ó Deus em
teu coração, na tua paz
e segurança.

Eu que hoje entendo
que nada sou, faço
de ti o meu tudo.
Eu que me bastava,
coloco-te como meu
sentido, como minha
herança e fortaleza.

Se eu me exaltar,
abaixa-me e ensina-me
com ternura que sem
ti nada sou.

Se eu te diminuir,
corrija-me e ensina-me
a por-te acima de tudo
e de todos.

Se por meus pecados
eu me diminuir,
lembre-me o valor
da minha vida, pois
minha vida é tua!

Eu antes dono de mim
mesmo, me submeto
suplicante à tua realeza.

Sou eu, pequeno e
necessitado, insuficiente
e inacabado, não me basto,
só tu me bastas!

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Mil anos (11.08.15)

Se tiver coragem, 
seja ousado e 
pergunte: "como?" 

Se tiver coragem, 
ouça a voz que 
com clareza expõe
a resposta. 

Se tiver coragem, 
seja ousado e pense 
pequeno para chegar 
até o fim. 

Se tiver coragem, 
una-se à Cruz, 
encontre alegria
diga sim dia 
por dia, até que na 
eternidade um 
dia seja como 
mil anos!

Sugestão de Leitura Bíblica: 
II Pd 3, 8-15.

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Sorriso e Louvor (06.08.15)

Daí-me a graça de ter
nos lábios um sorriso
sincero, seguido de
canções de louvor.
                     
Dái-me um coração
ardoroso, que seja
capaz de transfigurar
a minha feição.

Um coração renascido
da água e do Espírito,
gestado pelo impulso
de uma vida íntima,
centrada em Deus.

Dái-me comunhão,
novo ardor no novo
coração, sorriso e
louvor nos lábios.

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Cristo Restaurador (05.08.15)

Cristo com um novo
ardor abrasou o mundo,
reerguendo o homem
decaído, devolvendo
sua postura e dignidade.

Cristo  com profundo zelo
amou a humanidade, sobre
ela dissipou um novo sopro,
trouxe vida e ressurreição.

Cristo com amor e ardor
serviu o mundo inteiro,
ensinando que o último
tornar-se-á o primeiro.

Cristo apresentou a nós
sua face restauradora,
capaz de devolver a vida
e à deformidade levar a 
restauração.

domingo, 2 de agosto de 2015

O Santíssimo Nome de Jesus ( 02.08.15)

Pouco sei de mim,
Tu, porém, tudo sabes. 
Mesmo o que
não sei, não te é oculto
e assombroso.

Se pouco sei de mim,
devo ir a Ti, que tudo
sabes.

Sei que sou amado,
obra inacabada, mas
inspiração completa,
sopro dissipado.

Sou eu protegido,
resguardado, fui
livrado da morte...

Engrandeço o Teu nome
que me trouxe redenção
e vida nova.
O nome acima de todos
os nomes: Jesus.

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Jerusalém (31.07.15)

Eu sou Jerusalém...
Cidade eterna, escolhida,
morada do Eterno, protegida,
sob o olhar terno do Pai.
.
Eu sou Jerusalém,
cidade eterna, escolhida
morada do Eterno, protegida,
lavada pelo sangue do cordeiro,
que por mim caminhou.

Eu sou Jerusalém,
encontrada pelo Cristo,
protegida por aquele
que tudo transformou.
Sobre mim Cristo chorou
e em mim foi crucificado, 
ao passo que como Rei
também foi aclamado.

Coroado de glória e dor,
sou Jerusalém a cidade
que abrigou, mãe do povo
que O matou.

Sou Jerusalém, cidade eterna
onde hão de cumprir as escrituras,
sou eu ao mesmo tempo sepultura
e eternidade.

Sou a terra prometida
que ao povo eleito abrigou,
eu sou a nova Belém,
Eu sou Jerusalém. 

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Grilhões (30.07.15)

O Senhor rompeu
os grilhões da escravidão,
trazendo liberdade e sentido
para minha história.
Ainda trago as marcas das
algemas que por muito tempo
me aprisionaram.

Sou resgate, fruto do rio
que me transpassou e
que com suas fortes
correntezas,  devolveram-me
a vida.

Hoje sou livre ao ponto
de poder dizer: quem poderá
me separá de Ti?
Ainda tenho amarras,
mas mais fortes são as
correntes que nos unem...

Tendo a minha vida
imersa na Tua misericórdia, 
me preparo para o tempo
da justiça.
Livre da culpa,
quero permanecer
contigo, pois é tarde
e declina o dia...

Quero atravessar a
densa noite e contemplar
o nascer da aurora,
rendendo-Te graças
por fazer-me livre
e ainda em busca
da liberdade...

Minha sorte mudou,
como o curso do rio
que corre forte e em Ti
encontrei sentido para
a minha história...

Se hoje tenho liberdade
devo a Ti a minha gratidão,
por ter dado novo sentido
à minha vida e por ter
rompido os meus grilhões.

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Lagar (29.07.15)

Do insumo dos pés,
da uva triturada, foi
feito o melhor vinho.
De sabor sem igual
e tintura agraciada.

A parreira que foi
por Ti cultivada é
fecunda, possui
beleza, mantém-se
produtiva com o
passar dos anos.

Ao passo que é
colhido o fruto
produzido, uma
nova safra se inicia.

As lindas uvas nem
sempre são enfeites,
a beleza não é
dissipada, ao contrário,
tornam-se mais belas ao
serem esmagadas.

Ao perderem o tom
decorativo,tornam-se
saborosa bebida.
Do insumo dos pés,
da uva triturada, foi
feito o melhor vinho.

Santo são os pés que
nelas pisam, fazem
da beleza sabor, da
vida um cultivo, bela
uva, saboroso vinho,
um grande lagar.

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Ver Além (26.07.2015)

O senhor viu além,
enxergou em mim
o que eu não podia
ver.
                             
O senhor separou-me 
e antes do ventre
gerou-me e fez 
instrumento.

Rompeu minha surdez
e com um novo ardor
preencheu meu coração.
Deu-me uma vida digna
e feliz, distribuiu lembretes
de amor na minha história.
     
Chamou-me a construir
uma grande obra,
fez-me afiado e eficaz
instrumento, não qualquer
um, mas um instrumento
de restauração.

Sendo eu nas suas mãos   
instrumento, tenho a minha
vida por Ele restaurada.

Sugestão de Leitura Bíblica: 
Lc 4, 18-19

Forte (15.07.15)

Sinto-me protegido,
guardado dos devaneios
das ondas, por mais que
sejam fortes as tempestades,
sinto-me seguro em
Teu coração.

Por mais que eu não
enxergue o fim, tenho
a segurança para caminhar
hoje, para dar passos
decididos em Tua direção.

No caminho vejo setas,
tracejados que apontam
a direção.
Tenho medo do furor
da ira do inimigo e de
cair, pois julgo não saber
nadar.

De fato não sei porque
temo, pois nas tempestades
que enfrento ouço a Tua voz
que silencia o mar e acalma
o vento. Seguro abrigo é
estar Contigo, refugiado
em Teu coração.

terça-feira, 21 de julho de 2015

Amazônia (14.07.15)

Louvam a Deus
os homens que
ao olhar para a
criação veem
nela refletida
O Criador.
A manifestação
Do Amor que
Inundou o mundo.
Olham e enxergam
profundo o Deus
que é Amor. 
São crianças nos
braços da Virgem,
que descansam
e crescem no berço
do Brasil. 

segunda-feira, 20 de julho de 2015

A árvore de Adão (17.05.2015)

Decaído o homem
parte em busca da
liberdade que perdera,
deformado procura a
figura.
Perdeu a postura,
esqueceu a loucura
do alto da Cruz.
Em busca da verdade
se perdeu, foi lembrado
que mais vale sua vida
restaurada do que a falsa
figura que seus próprios
olhos enxergam.
Há um olhar que vem do
alto, o do Ressuscitado,
que apresenta ao homem
o olhar restaurado, revela
o sacrifício que remiu na
cruz a árvore de Adão.

Sugestão de Leitura Bíblica:
Gn 3, 6 ; Rm 5, 12-15.

Deus é o mar (15.07.2015)

Uma multidão de rios,
que desaguam no mar.
Em dado momento se
encontram e os seus
muitos caminhos se             
tornam um só. 

O curso anterior é
convergido, unido,
as águas ganham                            
mais força, sabores
mistos.

Não importa de onde
venham, todos eles se
encontram. 
De origem comum, de
cursos diferentes,
convergem para o
mesmo fim. 

Deus é o gênesis,
fim último, Verbo
encarnado, Espírito
enviado, o mar que
une em si todos os rios.

Sugestão de Leitura Bíblica: 
Rm 12, 4-5.

Mãe da Providência (15.07.15)

Maria providencia
em meio ao sofrimento,
sorrisos  e canções em          
nossos lábios.
Faz brotar alegria e
louvor, é a mãe do
novo ardor.
Refúgio sempre certo,                  
Maria é a providência
que não falta, a mãe
que leva nos braços    
o mundo inteiro.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Louvores (08.07.15)

Vejo nascer do interior da Igreja,
louvores de um povo que tinha
muitos senhores.
Oprimidos, por longos anos
habitaram os cativeiros,
andaram distantes da verdade.
Os cativos, hoje libertos,
ao seu único Deus,
cantam hinos de glória
e rendem a Ele os seus louvores.

terça-feira, 7 de julho de 2015

Pegadas (07.07.15)

Escolhi caminhos diferentes,
optei por deixar Deus ir à
frente e eu logo após,
sigo as pegadas deixadas
pelo caminho, sigo os rastros
de amor que Ele deixou
como pistas, para que
ao fim do caminho,
eu O encontre para sempre.
Foi Jesus o meu amor primeiro,
dEle quero ser por inteiro.
Não vejo Jesus à frente,
mas vejo o caminho por Ele
trilhado.
Por vezes O vejo ao meu lado
a me lembrar que caminha comigo,
por vezes sei que Ele está
atrás a observar os meus passos.
Fato é que o caminho é sempre
o mesmo, é o único, já trilhado,
o qual eu sigo as pegadas.

domingo, 28 de junho de 2015

Todas as coisas (28.06.15)

Só com grande amor podem
ser desfeitas as amarras
passadas e a vida à Tua
Imagem e Semelhança
restaurada.

Insondáveis são os caminhos,
todas as coisas convergem
para o Sumo Bem, para o
Amor primeiro.

És misericórdia e bondade
sem fim, és o infinito,
imensurável; e quem é o
homem para ser alvo da tua
preocupação?

Sois o sentido de todas as
coisas, o entendimento que
transpassa e clareia a turva
visão; a mão estendida
e o caminho a ser seguido.
Abaixo de Ti, o homem,
e todas as coisas.

Sugestão de Leitura Bíblica: 
Salmo 8 (Tradução da Ave-Maria).

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Se (24.06.15)

E se ao invés
de ficar eu fosse?
Partisse, saísse
por aí a falar do
Amor que me
consumiu...
E se por um
instante eu
parasse e naquela
hora enxergasse
tudo que o de mal
eu fiz, transformando
a culpa em motivação?
Que tal distribuir meu
perdão? A mim mesmo,
aos que feri, aos que
afundei ao invés de
estender a mão...
É certo que sou
incerto, incompleto
e ainda parte, vazio...
As possibilidades
simulam as ações,
constroem muros,
infundem lamentações...
A graça traz alegria,
reflexão, calma e paz
Me faz pensar...
E se for tarde
e não der mais
tempo de fazer
tudo o que eu
apenas pensei
e não fiz?

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Lágrimas (22.06.15)

Lavavas com bálsamo 
os pés de Jesus e com 
as lágrimas tu consolavas-te
o coração.

"Responde ó Maria, 
no teu caminho o que havia?"
Dos erros que cometeu
quem te acusou? 

Quem como Jesus tanto amou-te?
Teu Mestre, encontrou nas tuas
lágrimas, arrependimento, pureza
e santidade; viu-te escondida, com
medo, indagou e todos se foram; 
estendeu-te a mão.
Viu-te do alto da Cruz e enquanto
dava a vida por ti, talvez tenha até
lembrado daquilo dia que enquanto
escrevia na areia, perdoou-te de tudo
que fizestes.

Tu, que andastes errante, 
caístes no lugar certo; 
aos pés do Mestre.

Como é belo ver que ali 
permanecestes por toda a vida; 
as mesmas lágrimas que
banharam os pés do Mestre,
derramaram-se aos pés da Cruz.

Vistes-o levado a morte,
sofrendo com ele as dores
do caminho.
Vistes-o morto, sepultado e
após três dias ressuscitado,
fazendo-te  testemunha vitória
sobre a morte.

Após descer a mansão dos mortos,
trouxe para sempre a vida, a ti
e ao mundo inteiro;
Agora pergunto-te eu:
em tua memória não passavam
também as recordações daquele
dia do encontro?

Tu lembravas da tua vida
de pecado, onde lavavas com
bálsamo os pés de Jesus
e com as mesmas lágrimas
derramadas por todo o Calvário,
tu consolavas-te o coração?

Vendo agora tua vida toda
restaurada, "responde ó Maria, 
no teu caminho o que havia?"

quinta-feira, 18 de junho de 2015

A voz que não se cala (18.06.15)

Simples e inquieto Fernando,
que levava em seu coração o
desejo de dar a vida por Cristo, 
modelo e exemplo de vida. 
Mais tarde torna-se-á Antônio,
sempre virtuoso e exímio 
pregador do Evangelho. 
Com zelo abrasava os corações, 
com a alegria levava a vida. 
Sempre humilde e rebaixado,
por isso hoje grande, santo e 
estimado. 
Fazei-nos chamas vivas 
e ardentes, anunciadores
que falam com as obras, 
testemunhas que ensinam
com a própria vida.
Inflamai em nossos corações
o ardor missionário, para que 
suportemos as lutas, sem obter
descanso enquanto não chegarmos
ao pleno cumprimento da nossa
missão; e assim alcançarmos o céu.
Sede o nosso modelo, sede o 
nosso incentivo, olhai por nós 
junto a Deus, vós que falaste de 
Jesus ao mundo inteiro, 
estando para sempre ao Seu
lado, falai do mundo inteiro 
a Jesus.

domingo, 14 de junho de 2015

O coração de Maria (14,06,15)

Há uma ponte que me liga
ao Céu, é o coração de Maria,
Imaculado e onde são guardadas
todas as coisas.
Há uma ponte que me liga
a Jesus, é o coração de Maria.
Há uma ponte que remete
à meditação e me põe em Missão,
é o coração de Maria.
Há uma Mãe que me consola e
alivia, é Maria.
Me educa e me apresenta
o caminho, intercede por
mim e me traz a paz.
Há uma ponte que visita
o coração de Deus, levando
as preces da humanidade,
é o coração de Maria.
Há um coração que é
espelho do coração de Jesus,
é manso, humilde, misericordioso,
o coração de Maria.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Oficina de Restauração (12.06.15)

Ponho-me no Teu coração
sagrado e chagado para lá
receber nova vida, deixar-me
ser restaurado.
Ponho-me ao Teu lado, para
refazer o caminho e me
reencontrar com a alegria.
Meu maior consolo é saber
que sou insuficiente e inacabado,
pois sendo eu assim, serei sempre
alvo do Teu trabalho.
Vejo-Te a me reconstruir,
trabalhando noite após a noite
para devolver-me a forma inicial.
Vejo-Te incansável, sempre
amoroso, moldando-me com
Tua própria mão.
Sou obra, construção,
instrumento gasto.
Teu coração é descanso,
fonte de amor e misericórdia,
minha oficina de restauração.

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Fins de tardes (10.06.15)

Em muitos fins de tardes
fiquei a imaginar como
se dariam as coisas,
como seria meu futuro e
em como responder a voz
do Teu Filho.
Vi indo embora os dias,
atravessei escuras noites,
nunca estive desamparado.
Obtive a mesma resposta
que ouvistes do anjo:
"O Espírito virá sobre ti"
Também vi surgir no céu
estrelas que me recordam
a tua presença e cuidado.
Sabendo que lá estás,
peço o teu auxílio e proteção.
Consagro a ti minha vida,
certo de que recorrendo à
tua intercessão, o teu Filho
me ouvirá.
Tua é minha vida, meus
dias, pois toda de Deus és,
e eu também o quero ser.

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Barro e Sopro (08.06.15)

Esforço-me para ser
fiel e na paciência 
alcançar os frutos
das Tuas promessas.

És Tu meu criador, 
meu caminho, divino, 
essência, voz que chama
e revela a verdade a ser
seguida na obediência, 
na fidelidade.
Fonte do ardor, da vida,
princípio e fim.

Sou eu um inquieto
e necessitado, sempre
em busca, insaciado. 
Mais próximo de mim,
quando mergulhado em Ti.
mas ainda desconhecido

Eu, obra de Tuas mãos,
barro sendo modelado,
sopro que foi dissipado,
Incompleto, barro e sopro
a ser restaurado.

O Altar do Sacrifício (08.06.15)

Ouço ao longe Tua voz,
que me chama a subir
a montanha e no topo
adorar-Te.

Sinto-me livre e liberto
de mim mesmo quando
me solicitas e consigo
dar-Te o que me foi
pedido.

Em cima do alto monte,
deparo-me com o Amor
que me seduziu, com Sua
vontade ao meu respeito.

Quem sou eu parar merecer
tanto Amor? Feliz culpa
que me trouxe o Redentor
e impôs misericórdia e não
sacrifício.

Todas as minhas paixões,
me conduzem a um único
Amor, me colocam diante
do Altar do Sacrifício.

quarta-feira, 3 de junho de 2015

José e Jesus (02.06.15)

Pequeno José,  em seus
braços o Filho de Deus.
Simples Jesus,
ingênuo e indefeso.
Assim te vejo, preso
nos braços de José,
protegido.
Para ele serás sempre
pequeno, mesmo
já tendo crescido.
Ainda assim, o
inocente menino.
Encontro em ti virtudes
replicadas, um amor
que foi aprendido em
meio às coisas simples.
Suas próprias mãos deram
formato à madeira.
Seria mais tarde ela
por Ti abraçada.
Conhecias a estrada,
aprendestes de José a fé
e a trabalhar também
pela salvação.
Se por ser Filho de Deus,
Tua condição é elevada;
por ter sido fiel e cuidado
de Ti e de Tua Mãe, a alma
de José, Teu pai, foi glorificada.

domingo, 31 de maio de 2015

Calvário (31.05.15)

Faz bem olhar para Cruz
e encontrar nela não só
um recomeço, mas uma
história construída por
Amor.
Se a vida por vezes
parece repetição do Calvário,
é preciso lembrar que
suportá-lo não é morrer,
mas encontrar-se com a vida.
Se o luzeiro que em mim
brilha hoje é fraca chama,
peço que o Espírito
a reinflame, fazendo frutificar os
dons e trazendo a alegria.
Se Deus pede que eu mude o
rumo do caminho por onde ia,
peço forças e coragem, para
com fidelidade poder dizer sim
e não voltar atrás.
Só tenho um caminho,
que é o próprio Jesus.
É Ele quem revela quem sou
e me mostra que há vida além
da dor, todos os dias me ensina
que atravessar o Calvário não
é caminhar para a morte,
mas encontrar-se com a  vida.

sexta-feira, 29 de maio de 2015

O Abraço de Jesus (28.05.15)

Quando criança
e com medo eu
abraça forte
minha mãe, logo o
medo era dissipado e
uma profunda paz me
envolvia.
Cessava o choro
e me tomava uma
grande alegria.
As lágrimas derramadas,
davam lugares ao risos.
Lembro-me de seu colo
acolhedor a me aquecer,
das histórias de grandes
homens que zelaram
pela humanidade.
Lembro-me da expressão
de meu pai a me encorajar,
ensinando-me as coisas da vida.
Fui crescendo e muitos abracei:
a pecadora caída, Lázaro,
Zaqueu, a menina tida
por morta, Marta, Maria,
João, Pedro,  Tiago,  Judas,
enfim....
Ninguém do meu abraço
escapou,  pois no alto do
Cruz, retribui os abraços
ternos de minha mãe,
me dando em sacrifício
e abraçando o mundo inteiro.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Náufrago (27.05.15)

Tenho à vista grandes tempestades,
não serei eu náufrago, pois tenho
o teu auxílio.
É incerto meu o destino.
Estou eu a navegar, tendo
à minha frente o mar revolto.
Sou eu todo envolto, protegido,
guiado.
Vejo ondas a engolir e levar à
morte muitos ao meu lado, porém
estou à salvo, seguro.
Serei eu ao teu lado uma indefesa
criança, diante de grandes ondas;
em meio à fúria do mar revolto.
Não temerei, pois sei que estou nos
teus braços protegido.
Estrela do mar,
guia-me até o porto.
Senhora dos navegantes,
sede meu socorro!
Mãe da esperança,
olhai por mim!
Dos que navegam és a esperança,
minha mãe, sou tua criança!
Não me engolirá o mar,
não serei confundido!
Não serei náufrago,
pois tenho o teu auxílio.

quinta-feira, 21 de maio de 2015

A Aliança (21.05.15)

Se tenho um coração puro
e reta é a minha intenção,
da mesma forma será reta
a estrada por onde sigo.

Haverá alegria no anúncio,
não serão pesadas as renúncias.
Terei forças suficientes para
manter-me perto de Ti e
continuar a caminhada.

Haverão grandes tempestades,
mas minha fé não será abalada.
pois és meu refúgio e cidadela.
em Ti está a minha confiança.
Subsistem em mim muitos,
tormentos, perto de mim
grandes tribulações, porém
quando estou Contigo, são
causa de maior proximidade.

Quanto mais sofro por Ti,
mais preciso aprender a amar.
Serei feliz pela fidelidade e
obediência, mesmo que sofra
injúrias e desprezo.

Humilhado, minha alma a Ti
será elevada, suportando com
paciência as coisas que me
acontecem, rumo à vida eterna.

Não são demais as tempestades,
pois nenhuma delas é maior do
que Teu alento e segurança,
sois o Deus que sempre ama
e nunca se esquece da Aliança.

terça-feira, 19 de maio de 2015

Perdas (19.05.15)

Em tudo desejo ser obediente,
mesmo que parte de mim eu
perca, para que o que está
podre se exima e o que está
por nascer floresça.
Não vejo outro caminho,
senão obedecer e por-Te
acima de tudo e todos.
Para que se revele a verdade
sobre mim e os Teus planos
se concretizem, me disponho
a suportar o  presente
sofrimento tendo em vista
o amor que vem de Deus,
afim de cumprir Tua vontade.
Aceito-o com paciência,
permaneço fiel,
comprometendo-me
a obedecer-Te, mesmo
sem entender o que há
por vir, em tudo desejo
ser obediente, pois sendo
Tu,  o Filho de Deus,
assim o foi e não sou eu
maior do que o meu Mestre.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

O Cordeiro de Deus (13.05.15)

Desejo fazer-Te conhecido
no mundo inteiro,
ser luz das nações
e levar-Te até os confins.
Sou eu pequeno diante
de tamanha grandeza
Aos poucos vou crescendo,
amadurecendo e tendo-Te
como minha fortaleza,
meu Sumo Bem,
minha maior riqueza.
Sou eu escravo do Teu amor,
prisioneiro do Teu Reino.
Sou eu, temoroso, inseguro,
mas ainda sim, em Ti acorrentado.
Teu Amor me conquistou
e aos poucos vou me
tornando todo Teu.
Minha alma se move ao encontro
da Tua, tal como a Noiva,
Tua Igreja, se faz esposa no Altar.
És o cordeiro de Deus,
imolado por mim.
Quero eu, ser todo Teu,
ir até o fim, imolar-me por Ti.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Oferta de Amor (10.05.15)

De Ti fui aprendendo a ofertar
o pouco que tinha,
feliz encontrei a vida
e a gerei em mim.
Fui indo meio sem saber
como se daria,
que alegria quando
descobri que a vida
por mim seria concebida.
Vi-me estremecida igual
Maria perante a saudação
do anjo, vi-me necessitada
da luz do Espírito que gerou Jesus.
Em meu ventre aceitei  acolher
o menino, que um dia pela humanidade
seria rejeitado.
O pequenino de mim nascido,
vai ser grande,  Rei, porém ainda
sim será crucificado.
Amada criança, doces lembranças
trago em mim.
Vi-Te crescer, vi-Te morrer, vi Aquele
que amamentei a entregar a própria
vida e fazer dela uma oferta de amor.

Paulo (07.05.15)

Eu, Saulo,
perseguidor,
opositor e
fiel defensor
de minhas vontades.
Fui perseguido pelo
Cristo que perseguia,
fui preso e conquistado.
Sobre mim resplandeceu
uma forte luz e logo
pude crer que aquele
que eu perseguia,
me chamava a anunciá-lo.
Me converti,
coloquei-me à caminho,
por onde ia falava deste
imenso amor que provei.
Fui preso,
levado ao cárcere.
Combati o bom combate,
guardei a minha fé.
Exortava insistentemente:
alegrai-vos! alegrai-vos!
Feliz dei a minha vida!
Eu, antes Saulo,
perseguidor,
sou agora Paulo,
perseguido pelo mesmo
amor que perseguia.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Mãe das dores (05.05.15)

De olhar desconsolado,
Vistes o Cristo Crucificado,
Penetraram-te as sete dores.
Um espada tua alma transpassou e diante
do peso da dor teu coração junto ao Cristo
chorou.
Tua alma em dor se contorcia,
enquanto de toda a humanidade
se compadecia.
Encontrastes um sentido que só
o coração que ama pode entender.
Tamanha foi a perfeição,
a santidade de teu Filho,
por amor deu a própria vida.
Tua alma ferida, no sangue
derramado se revigora,
por isso chamamos-te senhora,
mãe das dores.

domingo, 26 de abril de 2015

Falem as Obras (26.05.14)

Jesus menino, no colo de Antônio acolhido, 
é a luz que demostra a pureza e a singeleza
que o mundo precisa.
Fruto da bem- aventurança,
os braços que O acolhe,
são tão quais o da Virgem 
que O consagrou.

Inflamado de profundo zelo, 
não anuncia outro senão o
próprio menino,  que no alto 
da Cruz já crescido, vai fazer
aquecido o coração do homem 
santo que o segurou.

Parte então Antônio, 
à procura da mesma 
luz que suas trevas
iluminou, à procura 
do anúncio que preenche 
o seu vazio.

Disposto ao martírio,
encontra no anúncio 
a sua coroa de espinhos.
Tal qual Jesus, suas palavras 
não eram ouvidas.

Anunciava a vida e era rejeitado, 
apresentava o pequeno menino 
e sentia-se crucificado.
Foi ele perseverante,
permaneceu ao lado, 
zeloso pela doutrina,
pelo ensinamento, morreu 
e vive para sempre,  a segurar 
o mesmo menino crucificado 
a ensinar com a vida que a fé
sem obras é morta.

Por isso nos ensina: 
que abram-se dos nossos 
corações as portas, 
que cessem as palavras 
e falem as Obras.

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Virtudes (24.04.15)

Vi em ti sintetizadas inúmeras
virtudes, vi solicitude e presteza,
vi amor e beleza escondidas em
meio à simplicidade de uma vida
feliz.

Vi em ti uma forte determinação
para corresponder ao chamado
de Deus, O vi presente e refletido
no teu agir, na tua doçura.

Vi um coração alegre por ser todo
entregue, vi uma certeza sem fim
de que tudo iria se cumprir.

Vi que também em teu coração,
tudo estava consumado!
Vi uma fé constante, um coração
que não se cansou de lutar,
vi o espelho da obediência.

Vi uma alma exultante de alegria.
Vi em ti, Maria, sintetizadas em
meio à uma vida feliz, inúmeras
virtudes.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Mãe da Ternura (17.05.15)

Jeito doce, singelo,
simples e encantador.
Coração puro, amável,
sensível e acolhedor.

Feições finas, alma de
grande esplendor.
É assim que te imagino...
Vejo-te humana e
resplandecente.
Vejo sair de ti a mesma
luz que iluminou a
humanidade.

Vejo em ti, ó Mãe,
um poço fundo de
docilidade e amor.
Carinhosa, jeitosa,
cheia de zelo.

De colo aconchegante
e consolador.
És a mais bela flor do
jardim de Deus.

Flor sem igual formosura,
de beleza discreta, regada
pelas mãos do Criador.
És a mais bela flor,
és a mais bela de todas
as criaturas, a Mãe da ternura.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Acréscimo (15.04.15)

Ponho-Vos no centro da vida,
Ao meu caos trazeis a ordem,
Aos meus desejos o equilíbrio.
Aos poucos se dissipa as
saudades do homem velho
que à porta insistir em bater. 

Encontro descanso, alegria,
Nada pode abater-me.
Não desejo nada além da
Vossa presença, não desejo 
nada além  do Vosso amor.

Chegam as fortes tempestades;
os dias fúnebres, mas nada pode 
apartar-me de Vós.
Chegam as densas nuvens a
esconder o sol, mas ainda sim 
permaneço firme à espera
da aurora que o há de revelar. 

Se sois o sentido e no Vosso 
Altar  está a minha vida, são 
vãs as minhas preocupações.  
Tudo mais é acréscimo do 
Reino que devo buscar primeiro.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Refúgio (13.04.15)

Teu coração é fonte de paz,
Sossego do aflito, é direção
do perdido.
Fonte inesgotável de Amor,
início e fim, és Tu Senhor!
Se fez vitorioso não pela glória,
não pelo poder, mas pelo sofrimento.

A vitória que contemplamos
é a da vida sobre a morte.
Aonde está  a vitória dos que
te perseguiam? Aonde está a
multidão que outrora Te oprimia?

Salvos estão os que em Ti
se refugiam, os que acreditam
que humilhado, fazes-te
maior do que todos os outros.

Vitorioso Rei, soberano entre
as nações, consolo certo,
porto, âncora, sustento.
Refúgio de todos os
que buscam descanso,
um lugar de paz e esperança,
é o Teu coração!

segunda-feira, 6 de abril de 2015

O Rio da Vida (06.04.13)

Há um rio que corre, cuja nascente 
é o lado aberto de Jesus. 
Quem dita o curso de suas correntezas 
é o Espírito Santo; deságua no coração 
de Deus, no seio da Trindade.

Há um rio que corre e  revela 
toda a verdade; nutre as raízes 
e amadure os frutos.
Suas ondas passam pelo lado
direito do Santuário, inundam
e derrubam as barreiras.

Há um rio que corre, cuja nascente 
é a fonte de toda a riqueza e sabedoria;
Seu curso é o caminho da alegria, 
da bondade; há um rio que possui 
imensa beleza e fecundidade.

Há um rio que corre, cuja as águas
lavam e purificam, revelam a verdade.
Há um rio que corre e tudo ordena
para o Amor; é o rio da vida. 

domingo, 5 de abril de 2015

O Grito da Ressurreição (05.04.15)

Sublime noite onde Tua voz 
rompe o silêncio, a surdez 
dos nossos corações. 
A morte está vencida, 
dos nossos pecados restam 
as Tuas chagas de Amor.
Se ao abismo foi o pecador,
de lá também foi resgatado.
Encontramos então alegria 
em meio à dor, encontramos 
redenção.
Nos reunimos entorno da mesa 
para celebrar Contigo a fração 
do pão.
Somos um e Tua entrega 
nos levou novamente ao Pai.
Descestes até a mansão dos 
mortos; mas onde está a morte?
Está vencida! Vê diante de si serem 
libertos todos os filhos e filhas de Deus.
Onde está Deus? 
No mesmo lugar, 
sempre amando 
e ensinando o Amor.
Ninguém pode para o Senhor 
da vida, ninguém pode impedir 
que Ele derramasse sobre toda 
a humanidade, um a um, 
todo o Seu Amor.
Ouço Teu grito rompendo 
o silêncio do luto, chamando-nos à vida.
Vejo crianças brincando em torno do altar.
Alternam-se o Altar e a Cruz; 
o madeiro é o lenho santo onde 
foi remido o mundo inteiro.
O Sepulcro é morada temporária 
dAquele que é Eterno.
Onde está a morte?  
Não consigo vê-la ou ouvi-la.
Diante dos meus olhos tenho 
o Teu corpo chagado, ressuscitado;  
ouço somente a voz de toda a Igreja 
em festa, celebrando contigo o 
Grito da Ressurreição.

sábado, 4 de abril de 2015

Uma conversa sobre a Cruz (03.04.15)

Indaguei a Jesus como encontrara
Alegria e como a havia expressado
No alto do Calvário.
Respondeu-me: "filho queria dar-te
Um grande sorriso para demonstrar
Que não se deu na tristeza o meu sacrifício.
Mas as dores me consumiam, feição
Humana eu já não tinha.
Então, resolvi resguadar-te do meu
Sorriso e amar-te somente com o
Meu olhar."
De fato, Senhor, Teu olhar me amou
E me trouxe uma profunda paz e alegria.
Indaguei ainda a Jesus, como suportara
Tamanha solidão, vendo os Seus o deixando.
Respondeu-me: "não havia solidão, o Pai
Sempre esteve Comigo e sempre estive com
Ele."
Agradeci a Jesus, pela paciência
Em me explicar, pela doce companhia,
Pelo peito que me emprestara para reclinar
Minha cabeça.
Obrigado Jesus por ter se entregado, morrido
E vencido a morte por mim; por me oportunizar
De maneira tão simples e profunda, uma conversa
Sobre a Cruz.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Fogo Abrasador (01.04.15)

Fui devorado por um imenso 
fogo abrasador, tomado por um 
profundo zelo, que me fizeram 
suportar os ultrajes.

Tomei um grande amor 
pelo sofrimento, uni-me a Ti, 
fazendo da minha com a Tua, 
uma só alma; senti-me cheio de 
um novo ardor.

Ninguém de mim teve compaixão.
Nem por isso deixei de louvar-Te.
Ao contrário, exultei de alegria.
Meu coração reviveu, não morri. 

Senti-me, mesmo em meio aos ultrajes, 
tomado por um profundo zelo, 
envolto por um fogo que me devorou;
um fogo abrasador.  

segunda-feira, 30 de março de 2015

A alma esposa (30.03.15)

Óh Virgem imprudente!
Já não tens óleo e a tua ida
para buscar o combustível,
te custará a perca da presença
do Amado.

A tu que és prudente,
estás de pé, cheia
de mirra, à espera.
Espera, alma preciosa!

Ele logo vem...
Já está para chegar,
honrará a tua espera.
Caminha...
No caminho Ele te encontrará,
ama agora, Ele te amará
para todo sempre.

Espera o beijo doce
do Teu Senhor,
espera as delícias que te
aguardam no céu.

Fostes fiel e será eterna
a tua alegria, sê toda dEle,
pois o Amado já é teu.
O Amado te espera
e vem ao teu encontro;

Te livrará dos chacais,
das raposas.
Sê tu a tua a alma vigilante
e esperançosa, sê tu a alma
esposa.

A Rosa do Calvário (30.03.15)

Uma rosa brilha em meio
ao sofrimento, reluz;
Como é grande o seu
esplendor, como é grande
sua pequenez.
Parece ser um mero detalhe,
mas olhá-la traz esperança,
traz consolo.
Diante de tanto sofrimento
Olhava e só via espinhos,
em meio às dores encontrei
uma lida e formosa rosa,
respingada de sangue;
de perfume sem igual. 
Meus olhos se encantaram
e meu coração entendeu que
Maria é a rosa que perfumou o 
mundo, é a Mãe da Esperança,
a Rosa do Calvário.