domingo, 29 de novembro de 2015

Verdade e amor (29.11.15)

Reto é o caminho do justo,
que  tem em seu peito as
memórias abrasadas da
aliança selada com Deus.

A sua alma é elevada e
seus anseios estão além
desta passageira morada,
em Deus reside seu coração.

Quando decaído tem sempre
diante de si a mão de Deus
estendida, quando elevado,
a sua se estende ao decaído.

É reto, íntimo e entendeu
que verdade e amor são
os caminhos do Senhor,
eterna é a sua aliança e
elevada a morada onde
Deus habita.

Sugestão de Leitura Bíblica:
Salmo 24/25


sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Enchei as talhas (27.11.15)

Enchei as talhas e
nelas deposites tudo
o que precisa ser
transformado.

Faças uma oferta
sincera de si e eis
que meu filho há de
atender-te.

Não tarda, não demora
e já vem a hora que o
que teve a água em vinho
transformada, dirá a outros:
enchei também vós, as talhas.

Sugestão de Leitura Bíblica
Jo 2, 7.

domingo, 22 de novembro de 2015

Doze Cestos (22.11.15)

Do que faltava tenho agora doze
cestos cheios, não só de alimentos,
mas de amor e compaixão.

Sou parte do povo incrédulo
que ia ao teu encontro por
necessidade.

Mas de Ti aprendi,
ainda quando era multidão,
que devo acolher a todos,
sem fazer distinção.

Depois de saciar a fome,
suplicar por conversão.
Hoje só posso agradecer,
pois fui retirado da multidão
e do que me falta todos os
dias recolho doze cestos.

Sugestão de Leitura Bíblica:
Jo 6, 12-13.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Memórias (18.11.15)

Escrevo o que talvez alguém 
um dia queria saber, e eu que 
estarei ocupado a contemplar 
a Deus não poderei contar.

Memórias de mim, 
escritas no livro da vida, 
dada por Aquele a qual 
em Suas mãos a tem para 
sempre.

São memórias que mesmo 
esquecidas podem gerar a vida, 
por isso escrevo, de mim, 
bom ou ruim...  para sanar 
a curiosidade futura e 
para que todos saibam 
que aqui estive, mas daqui 
não sou.

Manso e humilde (18.11.15)

Sereno, doce, brando,
manso, amigo e Mestre.
Recebes meu peso e em
Ti o meu pranto logo se
converte em festa.

O meu ombro se encaixa
junto ao lenho da Cruz e
ali sinto o peso da redenção.

Na minha subida árdua e
necessária, encontro forças
quando olho para Ti.

Encontro aquela mesma
menina que te consolava,
a enxugar meu rosto e
aliviar-me dos algozes
que como a Ti faziam,
me maltratam.

Mas a ti me confio,
pois sou fraco e o
fardo a mim pesado.

Me submeto ao
Teu julgo suave,
me abandono em Teu
coração que é manso
e humilde.

Sugestão de Leitura Bíblica:
Mt 11, 29. 

domingo, 15 de novembro de 2015

No silêncio do meu quarto (14.11.15)

No silêncio do meu quarto
posso te ouvir, sinto uma
forte paz a me envolver.

Posso dialogar, falar de
mim e acostumar os meus
ouvidos ao tom da Tua voz.

Ali pode ser o meu monte,
a minha alta montanha e o
meu lugar de solidão.

Ali pode ser o meu descanso,
o meu alento, tal qual o Teu
coração.

Posso muito longe ir, porém
preciso sempre da direção.
Antes de ir, paro para ouvir
Tua voz a falar, no silêncio
do meu quarto.

Sugestão de Leitura Bíblica: 
Mt 6, 1-7. 

domingo, 8 de novembro de 2015

Ruah (07.11.15)

Eu aqui do papel posso dar vida 
às aves que te louvam no céu,
aqui fico a contemplá-lo.
                 
Posso criar a estrela que me
leva à Jesus, posso também
me unir a Ele pela Cruz.

Aqui, no papel, sou livre,
sou meta e alvo, sou filho
e sou cuidado.
           
Crio, mas antes já fui criado
figuro enquanto sou
transfigurado, recebo forma
e cor, luz e sabor.  
             
Aqui só posso imaginar e
crio, mas sem o sopro da
vida que só Tu podes dar,
sou criador a imaginar, o
Criador a me criar.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Palavras que abrasam (04.11.15)

Hoje Tuas palavras chegaram
de uma  forma diferente ao 
meu coração, penetraram 
o íntimo do meu entendimento 
e me trouxeram consolação.

Encontrei novamente o menino,
muito tempo atrás feito Teu filho,
encontrei o adolescente que
alegrava-se ao receber-Te pela 
primeira vez.

Encontrei comigo ainda vivo dentro
de mim e me alegrei como naqueles
dias, pois vi que cultivei uma história,
hoje mais amadurecida, que me permite 
tomar uma firme decisão.

Minha luta é sempre fazer-Te 
o centro da vida, não importando 
se a minha renúncia seja deixar pai, 
mãe ou irmão.
Seguir-te-ei, abrasado por Tuas
palavras, que fazem arder o meu
coração.

Sugestão de Leitura Bíblica: 
Lc 14, 25-33. 

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Nada Além (03/11/2015)

Não desejo nada além que Tua
presença, não além do Teu amor.
Nada além do que ofertas,
nada além que o suficiente.

Diante dos tantos excessos que
em mim percebo, é recorrente
a sensação que algo falta.
Entendo então que a oferta que
fazes é daquilo que me basta.

Entendo, mas nem sempre acolho,
por causa das resistências que ainda
imponho e das lutas que contra Ti
travo.

Sei que para aderir àquilo que me
é ofertado, preciso ser podado.
Preciso que de mim seja retirado,
o desnecessário que o tempo
acumulou.

Mesmo sem ainda conseguir,
quero dizer que ainda estou
deforme e estando cheio me
sinto vazio, mas não desejo
nada além do que o suficiente
para hoje ser feliz!

Sugestão de Leitura Bíblica:
Eclo 31, 12-42.

O Crucificado (16/11/2015)

Ao comungar não contemplava outra
figura senão a do Crucificado,
olhei para a cruz e mais uma vez
o Senhor me dizia que por mim
se dava em sacrifício.

Olhei e não tinha nada que desviasse
o meu olhar.
Ao comungar veio em mim morar
Aquele que se dava em sacrifício
no altar.

O Eterno, a convidar-me novamente
à vida eterna.
Troquei minha humana morada,
por uma crucificada, troquei o meu
comodismo pelas dores do calvário,
os meus amores, pelo amor de Jesus.

Fiz Dele o  meu único amor e agora
e agora contemplo a figura do
crucificado, que meu o eu com
Ele à cruz levou.

Sorri (15/11/2014)

Sorri ao Esposo de tua alma,
sorri agora com mais calma,
sorri e silencia a tua alma.

Ouve a voz que antes longe
e agora perto te chama, sorri
e vela com Ele, sorri e a ama
somente a Ele.

Cante, louve, mas não se
esqueça: sorri!
Sorri e ame, sorri e dance,
sorri e com sorriso exalte
Àquele que é!

Sorri como sorriu Maria,
sorri por Ele ser a tua alegria,
sorri pelo retorno, sorri pela
partida, mesmo que a tua alma
não encontre motivos: sorri
ao Esposo de  Tua alma!