quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

O sorriso do menino Jesus (24.12.15)

Os anjos no céu festejam o
nascimento do menino Jesus,
na terra a alegria chegou e
na manjedoura sorri o Filho
de Deus.

Quão grandiosa é a alegria
de Maria e José, pois
agora colhem o fruto da
fidelidade à vontade divina.

No céu, a estrela o caminho
ilumina, e ao chegarem ali
os Reis adoram o Rei e O
presenteiam.

O ouro, representa a realeza,
o incenso a pureza, o perfume
puro que exala do Deus menino,
e a mirra é prenúncio de Sua
paixão.

É a grande festa, a maior de
todas as celebrações, entoamos
canções de louvor e ação de graças.

Contemplamos a doçura, na
manjedoura ouvimos o choro e
vemos o sorriso do menino Jesus.

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Grandes coisas (22.12.15)

A Tua misericórdia chegou até mim,
transpassou as gerações e encheu
de alegria, louvor e gratidão o
meu coração.

Recebi de Ti, inúmeros presentes,
muito além do meu merecimento,
minha alma uniu-se à de Tua amada
Mãe e com ela entoei um cântico
de alegria e agradecimento.

Posso eu também, ir ao encontro,
falar deste amor e ser instrumento
para que os que estão tristes entoem
com ela este cântico de vida eterna.

O Senhor é meu alento, meu forte e
a minha segurança, o Pai que tudo
fez, em Ti manifesto, pelo Espírito
revelado, em mim realizou grandes
coisas.

Sugestão de leitura bíblica: 
Lc 1, 46-56.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Abrigo (16.12.15)

Abrigo do Deus amigo
é o coração que O permite
entrar, a janela que se abre,
a sala que O aconchega.

Os braços que O afagam,
a mente que dilata o
entendimento e se esforça
para compreender os Seus
desígnios.

A alma que luta para
purificar-se é morada,
abrigo do Deus onipotente,
Criador da imagem intacta,
da semelhança perfeita.

Os que buscam Nele abrigo,
acabam por encontrar-se, quando
recolhidos em seu interior,
entendem que o Espírito que habita
em si, os tornam templo,  abrigo do
Deus que ama eternamente.

Descansa em mim (13.04.15)

Jesus? Jesus! Jesus...
Jesus... Jesus? Jesus;
Não me ouves?
Jesus? Jesus! Jesus...

Sim te ouço!
Por que tardas
em responder?
Jesus? Jesus!
Jesus...

Oi!
Não me vês?
Sim, te vejo!
Por que olhas o
pecador?

Jesus? Jesus! Jesus...
Jesus, Jesus; Jesus...
Não me entendes?
Jesus? Jesus! Jesus...

Sim, entendo!
Jesus? Jesus! Jesus...
Jesus... Jesus? Jesus!
Meu filho, acalma-te
e descansa em mim.

Sugestão de leitura bíblica: 
Mt 11, 28-30.

Mãe da Esperança (16.12.15)

É certo que dos teus
carinhos sou envolto,
entre tantos, fui eu
o escolhido.

Sobre mim derrama-se
uma especial proteção,
de mim brota uma
ardorosa oração.

Fruto da experiência
contigo, de ti, mãe,
aprendi que Jesus é
meu grande amigo.

Meu Mestre e Senhor,
a Ele devo submeter
a vida e nunca devo
esquecer-me que sou
eterna criança,
protegida por ti, Mãe
da Esperança.

Cânticos célebres (11.12.15)

Cânticos célebres infundiu
em nós o Senhor,  trouxe paz
e novo ardor, alegria e esperança.

Novo ânimo, novo amor,
misericórdia e temperança.
Nos recordou de Sua aliança
e que é fiel em cumprir Suas
promessas.

Antes cativos, perdidos em meio
às lamentações, retornamos do exílio
e agora entregues à Sua misericórdia,
deixamos perdidos na história os
cânticos fúnebres.

O Senhor nos fez renascer, tal como a
ave que ressurge das cinzas, e nos exortou
a entoar cânticos célebres, envoltos de
alegria, fogo e ação de graças.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Confusão (04.12.15)

Confusa estava minha alma
quando fui ao Teu encontro,
gemendo e cheia de dores.

Oprimida em meio a muitas
perturbações, escorreram na
minha face lágrimas de agonia.

Supliquei o Teu socorro e não
demorou que atendesse minha
prece, o Senhor ouviu meu clamor!

O que me oprimia agora confuso
está e minha alma antes cheia de
pertubações em paz se encontra,
pois o Senhor acolheu minha oração,
encharcada pelas minhas lágrimas.

Sugestão de Leitura Bíblica:
Salmo 5/6 (de acordo com a Tradução).

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Tempero (29.10.15)

Sou chamado a ser sal e luz,
a levar o vosso sabor e dissipar
as  trevas.

Levo comigo o gosto e o
cheiro, o devido tempero
para a desperança e a escuridão.
Levo a mensagem por vós
anunciada.

Em missão, com os pés na estrada,
quando me enviardes, serei para
o mundo um luzeiro e ao dissabor o
devido tempero.

Sugestão de Leitura Bíblica: 
Mt 5, 13-14. 

A manjedoura e a Cruz (02.12.15)

No primeiro presépio com 
José e Maria, estava o Rei 
a esperar aqueles que ao 
seu encontro iam para O
adorar.

Na Cruz estava o Rei, agora
despido e continuo a esperar
aqueles que iam ao seu encontro
para com Ele redimir a humanidade.

De novo não encontrou abrigo,
talvez tenha lembrado-se da
manjedoura e do perigo de nascer
em um estribo, ao longe, em Belém.

No entanto,  permanece Rei,
suporta a dor e rejeição, sua
manjedoura é o colo de Maria,
a acolhê-lo descido da Cruz.

Unem-se a manjedoura e a
Cruz, pois nasceu o Rei Jesus,
Rei de Belém ao Calvário,
Rei na terra e no céu, vivo para
sempre!

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

É tempo de recomeçar (02.12.15)

Olhar pro céu e lá encontrar
Esperança e força para permanecer
fiel e assim abandonar-me
sem medo ao novo de Deus.

Nas inconstâncias encontrar-me
com a misericórdia a apontar
um novo caminho. a me erguer
e reconduzir meus passos.

Ali, aos teus pés, encontrar
de novo o sentido.
Hoje te vejo abandonado
e esquecido, com saudades
a me esperar.

E eu sou ainda pequeno e rebelde,
mas sempre correndo ansioso
para novamente te encontrar.

Ouvindo de ti palavras de ânimo
e nova fé, insistindo para que eu
não desanime, pois é tempo de se
lançar ao novo e recomeçar.