sexta-feira, 17 de março de 2017

A vida e os medos

Eu tive medo de mim...
Eu tive medo de sorrir...
Escondi-me, fugi...
E cheguei até a pensar que eu
era somente um aglomerado de
medos...
Tive medo de ir adiante e ver o que
estava logo mais à frente...
Medo de renunciar e depois acabar por
arrepender-me...
Foi então que descobri que os medos
são reais, eles existem sim... Mas, não
são donos de mim...
Meu maior medo talvez seja o de abraçar
a cruz desta vida diferente...
Ver no mundo refletido, um semblante doente...
Tenho medo de acabar o tempo e não ter encontrado
a mim mesmo...
Tenho medo do tempo que corre e da alma que morre
caso se afaste de Deus...
Tenho medo de não cumprir a vontade de Deus
para minha vida...
Ah, a vida!
Retiram-se dela os medos e quanta vida sobra...

Minhas dores... (17.03.17)

Silêncio que irrompe e faz ecoar o grito de dor
preso em teu peito...
Tão grande amor, que da Cruz fez seu leito!
Tão grande dor, a transpassar o teu coração...
Tão grande amor, neste sacrifício que trouxe vida
em abundância e completa redenção...
Hoje quero eu neste mesmo colo repousar,
provar do teu silêncio que vela e intercede por mim...
Quero enfim, render-me, descansar de mim...
Das minhas lutas e resistências...
Quero dar-te o meu coração...
Pois em mim também há um horto...
Por isso a ti, em oração minha mãe, recorro...
E ali, mãe de Deus, no teu colo, enfim poderei
eu minhas dores descansar...

quinta-feira, 9 de março de 2017

Mesmo sem entender... (09.03.17)

Neste tempo onde pouco ou quase nada
consigo compreender, recebo de Ti o convite
para que eu revista meu coração de esperança...
Dirijo então a minha súplica ao Pai:
Ensina-me, óh Deus, a confiar sem reservas
Naquele um dia escolheu-me e confiou-me
tão grandiosa missão de fazer-me instrumento
para que sejam restauradas vidas...
Não vejo em mim talentos, nem forças próprias
que julgue serem dignas de tal feito...
Mas, hoje desejo aprender a confiar sem medidas
e a não desesperar-me diante do "silêncio" de Deus...
Suplico a força do Espírito Santo, para que eu viva
com passividade sincera esta espera pelo novo que há
de vir e abrasar novamente meu coração...
Até que o mar silencie e as ondas sejam submetidas
Àquele que delas é Senhor, permaneço aqui!
Fico a suplicar que seja sempre renovada a minha
esperança...
Permaneço, mesmo sem compreender...
Eu espero em Ti, confio em Tua palavra!