quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Na contra-mão (24.08.17)

Vi diferentes vias
para trilhar tantos
caminhos.... 
Diante de sedutoras ofertas, 
optei por viver o simples e 
trilhar um único caminho...

Despojando-me das glórias
que indo por várias delas
poderia vir a obter.

Podendo ter tanto, escolhi
não ter nada, por já ser de 
mim já tão cheio, acreditei 
não precisar de mais incentivo.

Então escolhi viver assim:
de forma simples, despojada,
totalmente entregue... 
Escolhi consagrar-me não
para ganhar no peito um brasão,
mas para dizer a Deus que sou fraco
e Dele necessito totalmente...

Fica aqui dentro de mim esta 
sensação de que estou perdendo 
a vida, mas ao mesmo tempo 
a certeza que se por aqui seguir, 
hei de reencontrá-la!
É preciso que aqui eu perca e tenha
coragem para permanecer na via da 
simplicidade, livre das tantas vaidades
e encontrar minha felicidade vivendo
na contra-mão, no oposto dos vários
caminhos. 

domingo, 20 de agosto de 2017

Eu sou diferente (20.08.17)

Por viver retirado, 
preciso por vezes 
voltar e no meu 
interior entender
que sou sim diferente...

Por vezes parece que 
nada mudou, mas por
dentro eu sei: eu sou 
diferente...

Chamado a ser diferente,
não predileto, mas escolhido,
chamado a espalhar talvez
com um simples sorriso, 
uma chama que irradia e não
apaga...

Sou chamado a adentrar o
profundo, a ser no mundo
um instrumento que restaura!
Instrumento imperfeito, 
porém escolhido para dar
testemunho...

Eu sou sim diferente, porém 
não estou ausente...
Vivo no mundo e ele necessita 
de restauração.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Renascer (02.08.17)

Diante de tamanho espetáculo,
fico a pensar na surpreendente
presença do Senhor que tudo
santifica e abrasa.
Neste lugar santo, retiro as
sandálias dos pés para aproximar-me
e de perto poder conversar face a face...
Eu tão pequeno e incapaz, chamado
a anunciar ao teu povo que está cativo.
Eu que não sei falar, devo ir... anunciar!
Compete a mim suplicar o Espírito que
me faz reviver, enviando-me aonde não
ousaria jamais por mim mesmo ir,
para que anunciando a própria Vida,
possa também eu abrasado pelo fogo,
diante tal espetáculo, ver minha vida
renascer.