sexta-feira, 6 de abril de 2018

O próprio Castelo

Conhecer-se, desvendar-se, galgar nas moradas do próprio castelo.
Mergulhar fundo em si, encontrar nos detalhes o Rei; nas dores oportunidades, no desconforto escada para o amadurecimento.
Nos gozos incentivos, nas tristezas chances para a oferta de si.
Tão formoso Castelo, tão grandioso Rei.
Tão mais belo serei se ao Rei consagrar-me e deixar que Sua imensa luz de mim as trevas apague!
Tão melhor me verei se de meus olhos me despojar e deixar que o Rei com os Seus possa me olhar.
Tão mais longe irei, quando deixar de por mim buscar, para que o Rei me ensine a em encontrar, a como galgar nas moradas de meu próprio castelo.

Conhecer-me, desvendar-me, galgar nas moradas do meu próprio Castelo! 
Vamos comigo Jesus?